COMPARTILHAR

Mostra composta por relatos, imagens e mapas, que revelam o papel desses movimentos antes, durante e após a Segunda Guerra Mundial. Sobreviventes do Holocausto contarão suas experiências no dia da abertura. A entrada é franca.

Série de 17 banners contando a história dos movimentos juvenis sionistas desde sua criação até o final da Segunda Guerra, a exposição “Até o Último Suspiro – Movimentos Juvenis na Shoá”, será aberta, com entrada franca, no próximo dia 15 de março, no Memorial da Imigração Judaica e Holocausto (Rua da Graça 160, no Bom Retiro, São Paulo).

A exposição chega ao Memorial por meio do Conselho Juvenil Judaico Sionista do Estado de São Paulo (CJJS). Organizada originalmente pelo Conselho Juvenil Sionista Argentino junto com o Museu do Holocausto de Buenos Aires e o Museu Yad Vashem em Israel, a mostra reúne relatos, imagens e mapas que relatam a resistência aos nazistas pelos movimentos juvenis. Na época, muitos de seus membros lideraram levantes de guetos através de uma resistência pacífica, cultural, espiritual e armada.

Os membros desses movimentos juvenis percorriam os países europeus informando a situação das comunidades judaicas. Inclusive mulheres mensageiras construíram uma extensa rede de comunicação entre os guetos isolados. Os movimentos organizaram a juventude, forneceram ajuda social aos judeus necessitados, criaram refeitórios populares, centros educacionais clandestinos e ambientes culturais de discussão.

No dia da abertura, teremos um relato sobre a cerimônia realizada em janeiro no campo de extermínio Auschwitz-Birkenau, na Polônia, para lembrar os 75 anos de libertação dos prisioneiros pelas tropas soviéticas. Em seguida, haverá um bate-papo entre os presentes e sobreviventes do Holocausto que residem no Brasil. Ao longo da mostra, membros do CJJS promoverão visitas guiadas.

Exposição

A mostra ficará aberta de 15 de março até 5 de abril no Memorial da Imigração Judaica e Holocausto, rua da Graça 160, Bom Retiro, São Paulo. O horário de funcionamentoserá de domingo à quinta-feira, de 10 às 17h; sexta-feira, das 10 às 15h. A entrada é franca, e esta mostra poderá ser vista com agendamento no portal www.memorialdoholocausto.org.br.

Sobre o Memorial da Imigração Judaica e do Holocausto

O museu está localizado na primeira sinagoga do Estado de São Paulo (fundada em 1912), guarda um amplo e valioso acervo documental destinado a valorizar a contribuição dos judeus ao desenvolvimento do Brasil. Ele visa preservar a memória judaica, oferecendo ao público um espaço único para honrar a memória dos imigrantes e sobreviventes judeus engajados na construção do Brasil. Com diversos recursos multimídia, Memorial convida o visitante a uma reflexão na qual história, arte, religião e cultura se fundem dentro de um ambiente especial, totalmente voltado para o conhecimento.

Print Friendly, PDF & Email