COMPARTILHAR
Inês Mindlin Lafer é a idealizadora do Confluentes (foto Mario Ladera)

Instituto Betty e Jacob Lafer lança Confluentes, um novo modelo de filantropia no Brasil. Idealizado por Inês Mindlin Lafer, o programa quer conectar pessoas insatisfeitas com a situação do país e que buscam alternativas para promover mudanças.

O Instituto Betty e Jacob Lafer (IBJL) – organização familiar que financia projetos de gestão e inovação em políticas públicas e redução das desigualdades no sistema de justiça – apresenta um novo modelo de filantropia no Brasil: o Confluentes. Idealizado pela diretora do IBJL Inês Mindlin Lafer, mestre em administração pública e especialista em direitos humanos, o programa tem como objetivo conectar pessoas insatisfeitas com a situação do país e que buscam alternativas para promover mudanças.

Inês lembra que doações privadas são determinantes para a manutenção de organizações sem fins lucrativos, mas hoje, no Brasil, isso parte especialmente de fundações e institutos privados – empresarias ou familiares –, além de indivíduos de altíssimo patrimônio ou renda. “O que queremos com o Confluentes é criar uma nova geração de filantropos, atraindo indivíduos que estão no mercado de trabalho, ainda em uma fase de progressão em suas carreiras, e têm essa vontade de se engajar socialmente, mas não sabem como”, diz.

O programa propõe diferentes faixas anuais de apoio financeiro feito por pessoas físicas. O valor investido será revertido e dividido igualmente entre organizações atuantes em causas que visam a redução das desigualdades no país, tais como segurança pública, tecnologia para o bem público e equidade racial e de gênero. Para o primeiro ano do Confluentes, foram selecionadas cinco instituições: Ceert, Agência Pública, Papo Reto, Olabi e Vetor Brasil (saiba mais sobre elas ao final do texto.

A curadoria foi feita pelos financiadores da iniciativa: Instituto Betty e Jacob Lafer, Instituto Ibirapitanga, Luminate, OAK Foundation, Open Society Foundations, entre outros, e inclui organizações já apoiadas por esse grupo e que apresentaram bons resultados em projetos anteriores. Além de contribuir socialmente e ampliar sua rede de contatos, os apoiadores – ou confluentes – recebem benefícios exclusivos. Eles serão convidados para eventos temáticos, encontros com lideranças políticas e sociais, conversas com artistas e visitas às ONGs financiadas. Também poderão participar de um clube de leitura e ter – ou não – o nome identificado no site da iniciativa.

O programa tem gestão de Carolina Arruda Botelho, que coordenou por doze anos o Prêmio Trip Transformadores.

ORGANIZAÇÕES APOIADAS

Ceert (Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades)
Organização criada em 1990 que produz conhecimento, desenvolve e executa projetos voltados para a promoção da igualdade de raça e gênero. Destaca-se nas áreas do trabalho, educação, acesso à justiça e formação de novas lideranças. Sua diretora executiva, Cida Bento, foi eleita em 2015 pela The Economist como uma das personalidades mais influentes no campo da diversidade no mundo.

Agência Pública
Agência de jornalismo investigativo fundada em 2011 por jornalistas mulheres. Produz matérias sobre administração pública, corrupção e transparência, violência contra populações vulneráveis, entre outros temas, que são publicadas por mais de 700 veículos nacionais e internacionais, como UOL, El Pais e The Guardian. Entre os prêmios que já conquistou estão Wladimir Herzog e Comunique-se.

Papo Reto
Coletivo de comunicação independente de jovens moradores dos Complexos do Alemão e Penha, no Rio de Janeiro. Desde 2014, produz e dissemina notícias dentro do morro, com foco em eventos, reinvindicações e mobilizações. Com legitimidade para expor a realidade cotidiana na favela, também atua como mídia em área de conflito.

Olabi
Organização social criada em 2015 que busca democratizar a produção de tecnologia na construção de um mundo mais diverso e justo. Em sua sede, no Rio de Janeiro, as pessoas podem entrar em contato e desenvolver projetos de eletrônica, robótica, inteligência artificial, entre outras. Integra a rede dos Fablabs, criado no MIT, e do Global Innovation Gathering, da Alemanha.

Vetor Brasil
Criada em 2015, com sede em São Paulo, é uma organização voltada para o aperfeiçoamento da gestão de pessoas no governo, permitindo a elaboração de novas estratégias de atração, seleção e desenvolvimento de profissionais do setor público, com quem trabalha em parceria. Forma assim, uma rede de pessoas com disposição e competência necessárias para solucionar problemas que reflitam as necessidades da população brasileira.

Mais informações:
Confluentes
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1306 – 10º andar, São Paulo
Tel. (11) 3035-0065

Print Friendly, PDF & Email