Voto unilateral na ONU preocupa Bnai Brith

Compartilhe... Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone

A B’nai B’rith é a favor da solução de dois estados para dois povos, em relação ao conflito israelense-palestino. No entanto, vê com preocupação a iniciativa unilateral da Autoridade Palestina.

A votação na Assembleia Geral da ONU em 29 de novembro de 2012, concedendo status de “estado observador” à Palestina pode minar os esforços de paz. A medida é uma violação dos acordos assinados com Israel e, além disso, desafia o Quarteto Internacional para paz no Oriente Médio, do qual a própria ONU é membro, que diz que os progressos devem ser feitos através de negociações diretas entre as partes.

A votação na Assembleia Geral, com 193 assentos, foi de 138 a favor, 9 contra e 41 abstenções poderia permitir um avanço dos palestinos rumo à “internacionalização” do conflito com o Estado judeu e proporcionar medidas judiciais contra os esforços de Israel em sua autodefesa, face ao terrorismo implacável. Aos palestinos será concedido o mesmo grau de reconhecimento do Vaticano.

“Muitas questões precisam ser resolvidas entre as partes, incluindo não apenas as fronteiras, mas esta votação deixa Israel à margem do processo”, considera o presidente da B’nai B’rith Internacional, Allan J. Jacobs. “Os palestinos se recusaram a negociar com Israel por quase quatro anos, apesar da oferta de Israel para se reunir a qualquer momento, sem pré-condições. Este movimento da ONU demonstra não somente como Israel tem sido marginalizado por esta resolução, mas também o quanto mais difícil se tornam as perspectivas para uma resolução pacífica do conflito. ” Com o apoio de países que incluem a Áustria, França e Itália, os palestinos estão se esquivando do trabalho difícil, mas vital de negociações bilaterais e de compromisso, ao pedir às Nações Unidas para cuidar de seus objetivos políticos.

“Este movimento unilateral só vai prejudicar qualquer possibilidade de levar adiante as negociações de paz,” considera o vice-presidente executivo Daniel S. Mariaschin. “Os recentes acontecimentos deveriam ter lembrou ao mundo que não há sequer um controle unificado sobre os territórios palestinos. O Hamas, que está comprometido com a destruição de Israel, continua a controlar a Faixa de Gaza. Mesmo a missão da Palestina na ONU tem em seu emblema um mapa da “Palestina”, que abrange todo o Estado de Israel. ”

Durante décadas, a B’nai B’rith tem trabalhado para corroer o abuso sistêmico contra Israel na ONU e continuará a atuar visando abordagens mais justas e construtivas em relação aos desafios globais.

A B’nai B’rith é a mais antiga e mais amplamente conhecida instituição judaica de Direitos Humanos e ajuda humanitária.

Rodrigo Serafim, Isaac Esdras Galindo, Dimas Dantas, Miguel Fernandes, Marco Sampaio, C Leudo Benarez Freire curtimos este post