COMPARTILHAR
O prof. Avigdor Scherz explica a terapia inovadora para câncer de próstata

Professor Avigor Scherz esteve no Brasil e deu detalhes sobre a nova terapia

O professor Avigdor Scherz, do Instituto Weizmann de Ciências (WIS), um dos responsáveis por desenvolver uma inovadora terapia sem efeitos colaterais para o câncer de próstata esteve no Brasil e fez uma palestra na Congregação Israelita Paulista (CIP) no dia 25 de março. Com o tema “Uma luz para salvar a vida”, deu detalhes sobre como foi o desenvolvimento, juntamente com o falecido Prof. Yoram Salomon, da terapia já disponível em Israel, na Europa, no México e em tramite de aprovação pela Anvisa.

A Terapia Fotodinâmica Vascular Dirigida (VTP) com o TOOKAD® demostrou curar câncer de próstata em estádios iniciais em um alto porcentagem dos pacientes, mas já está sendo pesquisada para outros tipos de câncer. O novo tratamento destrói de forma restrita o tecido cancerígeno sem prejudicar o resto do órgão saudável, portanto não provoca efeitos colaterais habituais de outras terapias, como por exemplo a impotência. O procedimento é ambulatorial, tem duração aproximada de 90 minutos.

“Combinamos modelos da natureza com tecnologia. Nos organismos vegetais e animais há armas naturais, universais, que servem para destruir os órgãos que não funcionam muito bem. O primeiro passo foi enxergar o tumor maligno como um órgão que funciona errado, e tentar replicar o processo. Finalmente desenvolvemos este sistema que inclue uma droga fotossensibilizante, o Tookad, que se introduz na veia e chega pelo sangue a próstata. Ali, ao ser iluminado por médio de uma fibras ótica, se ativa no local desejado e gera uma reação em cadeia que acaba destruindo o tumor”, explicou o professor Scherz durante sua palestra.

O Instituto Weizmann de Ciências faz unicamente pesquisa básica. Os ensaios clínicos com participação da companhia Steba Biotech e o Hospital Memorial Sloan Kettering Cancer Center são realizados pela transferência de tecnologia, com acordo de royalties, através do braço de transferência de tecnologia do Instituto, a Yeda Research & Development.

O Prof. Scherz, destacou a importância que teve para o sucesso do projeto a diversidade e o ambiente de colaboração entre os pesquisadores envolvidos. “Da primeira ideia guiada pela curiosidade, até o medicamento foram mais de duas décadas de pesquisas”, destacou “mas próximas indicações da terapia vão demorar muito menos, sete anos no total.”

“Esta pesquisa é disruptiva na área e serve de amostra do grande impacto da ciência produzida no Weizmann, conjugando a excelência dos cientistas e a multidisciplinaridade da pesquisa”, destacou Mario Fleck, presidente dos Amigos do Weizmann do Brasil.

O Prof. Scherz recebeu numerosos prêmios e é codetentor de 15 patentes que aportaram a base para transferência de tecnologia e estabelecimento de várias Start-ups. Ele estudou na Universidade Hebraica de Jerusalém BSc, MSc e PhD em física, química e biofísica respectivamente. Fez seu pós-doutorado nos Estados Unidos (University of Illinois in Champaign/Urbana e University of Washington em Seattle). Está no Instituto Weizmann de Ciências desde o ano 1983. É membro do Departamento de Botânica e Ciências Ambientais e veio ao Brasil para participar do evento “São Paulo School of Advanced Science on Modern Topics in Biophotonics”, realizado pela USP com apoio da Fapesp, em São Carlos.

Print Friendly, PDF & Email