COMPARTILHAR

A iniciativa procura desvendar os mistérios da história do Monte do Templo em Jerusalém.

25

O Projeto de Peneiragem do Monte do Templo em Jerusalém iniciou uma nova campanha de angariação de fundos na última quarta-feira, 7 de dezembro. O valor arrecadado permitirá que a iniciativa continue por mais um ano e inicie o processo de publicação da pesquisa realizada pelos arqueólogos do programa. A pesquisa tem a capacidade de apresentar dados factuais sobre o Monte do Templo, desafiar teorias e esclarecer entendimentos a serem compartilhados com a comunidade científica e o público.

O Projeto de Peneiragem surgiu em 1999, quando o Waqf (truste islâmico que controla o Monte do Templo) realizou uma construção ilegal de uma nova mesquita na área dos Estábulos de Salomão e cavou um grande buraco no Monte do Templo, removendo 9000 toneladas de terra e descartando no Vale do Cedro sem qualquer supervisão arqueológica.

Em 2004, os arqueólogos Dr. Gabriel Barkay e Zachi Dvira começaram a peneirar os detritos desta destruição. Esta iniciativa se tornou o Projeto de Peneiragem do Monte do Templo (TMSP), que visa resgatar artefatos antigos, além de realizar pesquisas em busca de novas informações sobre a arqueologia e a história do Monte do Templo. As descobertas do Projeto de Peneiragem representam o primeiro material arqueológico de dentro do Monte do Templo, já que nenhuma escavação apropriada já foi realizada ali.

Esta pesquisa se torna ainda mais importante agora. Em outubro deste ano, a UNESCO aprovou uma resolução negando a conexão de judeus e cristãos com o Monte do Templo, enfatizando apenas sua conexão com o Islã. O Projeto de Peneiragem demonstra como esta resolução é falsa, pois o projeto encontrou milhares de artefatos antigos datados do Primeiro e Segundo Templos no solo do Monte do Templo. “Estas resoluções desrespeitam a ligação histórica do judaismo e do cristianismo com o Monte do Templo e o Muro das Lamentações e protestam contra a Autoridade de Antiguidades de Israel”, destaca Zachi Dvira.

Ao longo de seus 12 anos de existência, o projeto cresceu como uma iniciativa de relevância internacional. Com a ajuda de mais de 200.000 voluntários, centenas de milhares de valiosos achados foram descobertos. O projeto encontra numerosos artigos de muitos tipos, como fragmentos de vasos de pedra, cerâmica, moedas, jóias, uma rica variedade de contas, figurinhas de terracota, pesos, pontas de flechas e outras armas, a maioria datada do período do Primeiro Templo em diante (século 10 a.C até os dias de hoje). Tais descobertas provam a presença de judeus, romanos, bizantinos, árabes, cruzados, entre muitos outros, no Monte do Templo. “O Monte do Templo é inacessível para arqueólogos. Os achados do Projeto de Peneiragem lançaram uma nova luz na história e arqueologia de Jerusalém e do Monte do Templo. Esta é uma oportunidade muito rara e única na vida de descobrir achados originais do Monte do Templo. No processo, nós localizamos, analisamos, processamos, estudamos, categorizamos assim como preparamos para publicação dezenas de milhares de artefatos, que, de outra forma, teriam sido jogados fora”, disse Barkay.

Entretanto, para que o Projeto de Peneiragem continue, são necessárias doações, que podem ser feitas on-line em http://half-shekel.org/pt-br/. Os valores arrecadados serão utilizados na publicação dos artigos sobre pesquisa e manutenção da iniciativa por mais um ano. A pesquisa arqueológica que não é publicada e compartilhada com a comunidade científica e o público é descartada como se nunca tivesse sido realizada. O Projeto de Peneiragem precisa do apoio dos brasileiros e do resto do mundo para completar sua responsabilidade como guardião da história do Monte do Templo.

* O Monte do Templo (hebraico Har Ha-Bayit), conhecido como a Esplanada das Mesquitas ou Nobre Santuário para os muçulmanos, é o local da Mesquita Al-Aqsa e do Domo da Rocha (em árabe Al-Haram Ash-Sharif) e do Muro das Lamentações (parte do complexo do antigo templo judaico). É considerado sagrado por judeus, cristãos e muçulmanos, sendo também um dos lugares mais disputados do mundo.

Para saber mais sobre o projeto, visite www.pt.tmsifting.org/about-project/ e faça doações, visite http://half-shekel.org/pt-br