COMPARTILHAR

A companhia para Reconstrução e Desenvolvimento do Bairro Judeu da Cidade Velha de Jerusalém, em parceria com o Governo de Israel, tem vários projetos em curso que demandam um investimento total de 200 milhões de shekels (cerca de 55 milhões de dólares). 

A iniciativa busca melhorar os espaços públicos do bairro histórico, que deverá ser adaptado às necessidades de moradores e turistas. O projeto envolve infraestruturas acessíveis que incluem um elevador que ligará o Bairro Judeu até a praça do Muro das Lamentações, áreas de lazer com sombra, instalação de mobiliário de exterior, iluminação moderna, rotas turísticas claramente sinalizadas em pontos importantes do local, e uma reforma da Sinagoga Tiferet Yisrael, dinamitada durante o conflito árabe-israelense de 1948.

A primeira fase da obra foi realizada na praça Resnick, rua Hayehudim, principal rota turística da cidade, paralela ao Cardo, da era Bizantina, onde hoje funciona um centro comercial exuberante. Entre os locais restaurados também está a casa incendiada de um hierosolimita riquíssimo, do período do Segundo Templo. A empresa também começou a restaurar a Sinagoga Tiferet Yisrael, que foi destruída em 1948. O trabalho deve demorar alguns anos e o edifício, depois de acabado, terá uma altura de 25 metros.

Outro local que receberá reformas é a área das escadarias que conduzem à praça do Muro Ocidental, que não são adaptadas aos deficientes. Foi proposto um projeto para construir um elevador e túneis que darão acesso direto do bairro para a praça. O corredor e o elevador vão cobrir um total de dois mil metros quadrados, e serão concluídos com um custo estimado de 57 milhões de shekels ($ 16 milhões). O elevador está previsto para entrar em operação em janeiro 2022.

Na lista de revitalizações também está o exterior do Museu Arqueológico Wohl, uma das maiores e mais importantes áreas do Bairro Judeu. O museu inclui os restos de casas pertencentes à aristocracia da cidade, desde o tempo do Rei Herodes até a destruição do Segundo Templo, em 70 d.C. 

O CEO da companhia, Herzl Ben Ari, disse: “Espero que todos que visitarem o Bairro Judeu de Jerusalém sintam que realizamos um sonho para eles e que todos os hóspedes e turistas, provenientes de todo o mundo, vivenciem a singularidade e os valores eternos da capital de Israel “. 

Print Friendly, PDF & Email