COMPARTILHAR

O mês de dezembro foi caracterizado pelo aumento da onda de terror na Cisjordânia, visando os civis da Judeia e Samaria. A organização terrorista Hamas que foi obrigada a baixar as chamas-literalmente-, na Faixa de Gaza. Na semana passada Israel permitiu , pela 2ª vez, transferir 15 milhões de dólares em espécie, do Qatar para Hamas e esta organização passou a incentivar seus adeptos a levantar a cabeça na Cisjordânia. Isto não significa que não há disturbios na Faixa de Gaza. Toda sexta feira chegam cerca de 10 mil pessoas e fazem distúrbios, só que sem lançar pipas e ou balões incendiários.

No domingo (9) terroristas vieram de carro até uma estação de ônibus, diminuíram a velocidade e aí atiraram rajadas de balas nas pessoas que lá estavam. Feriram 7 pessoas, inclusive uma jovem de 21 anos, grávida na 30ª semana e o seu marido. Ela, gravemente ferida, lhe fizeram cesariana, internando o bebê em estado grave, com feridas de balas e por não obter oxigênio durante alguns minutos. O estado de saúde da mãe melhorou um pouco enquanto do filho foi para crítico. O pai ferido passava entre a UTI onde estava a esposa para a do filho. Na 4ª feira (12) a mãe foi levada para ver o filho e foi a única vez que o viu. Logo depois veio a falecer.

No judaísmo tem que ter nome antes de enterrar, lhe deram o nome simbolico de Amiad Israel, ZL. Em tradução do hebraico significa o povo de Israel para sempre. Casualmente, na noite desta 4ª feira, forças do Tsahal (EDI) com informações da Shabak (antigo Shin Beth) intercederam o carro dos terroristas que fizeram o atentado. Ante sua resistência, a tiros, o atirador foi morto e seus 2 comparsas presos.

Na 5ª feira(13) de manhã, terrorista tentou esfaquear 2 policiais da Guarda das Fronteiras e foi abatido. Houveram outras tentativas de atropelamento, esfaqueamentos e outro tiroteiro de carro palestino na Cisjordânia, acertando e matando 2 soldados e ferindo outros.

Uma onda destas, não presenciamos há muito tempo. Esta também se deve ao fato de que hoje (14) é o 31º aniversário da fundação da Hamas, que quer agitar a região, mesmo devido ao fato da descoberta da arma do “Dia do Juizo Final” da Hizballah, a rede dos tuneis e o seu trabalho de destruição. O intrigante é que além das mortes dos israelenses, tanto a Hamas como a Autoridade Palestina louvam os assassinos. Nas ruas de Gaza e de Ramallah, pessoas festejam as mortes e distribuem doces aos transeuntes.

O líder da Hamas, Yachya Sinwar incentiva a população ir a cerca da fronteira e fazer bagunça no “Dia da Raiva”. Hamas ameaça fazer mais atentados “que incendiarão a Cisjordânia”. O seu oponente, a Autoridade Palestina por seu lado, também incentiva a violência e além de pagar salários as familias dos palestinos mortos, também critica Israel. O 1º Ministro palestino, Rami Hamdallah, exortou a comunidade internacional para “parar a agressão de Israel.”

As forças de segurança de Israel agem cada noite para descobrir e abortar atentados contra israelenses. O Shabak informou que desde o inicio do ano conseguiu abortar mais de 530 tentativas de ações terroristas significativas, prendendo 4000 terroristas. Nesta época foram assassinados 10 israelenses e 76 foram feridos. Por incrível que pareça, o norte, mesmo na fronteira com a Síria e o sul fronteiriço da Faixa de Gaza, foram mais tranquilos. Na fronteira com o Líbano e a Síria nenhuma baixa. Na fronteira de Gaza, 2 oficiais do EDI morreram e 1 palestino que trabalhava em Ashkelon foi morto por missil lançado pela Hamas.

O que parece um grande absurdo é que as 2 entidades palestinas dependem de Israel. Este mantêm Abbas no poder, dá trabalho a palestinos, lhe fornece de água a energia. Como já escrito, Israel até permite a transferência de dinheiro vivo (em dolares) de Qatar a Hamas, para aliviar as condições de vida de dezenas de milhares de habitantes, além de lhes fornecer material de primeira necessidade.

Medidas mais enérgicas que Israel poderia adotar em condições de guerra, não adota principalmente por pressão da opinião pública mundial que não tem ideia do que se passa por aqui. Os países europeus já tem sofrido e vão sofrer mais com o crescimento de sua população muçulmana. O atentado na França, num mercado para o Natal é apenas um exemplo (mais a seguir).

Não é coincidência que governos que querem manter sua população, sem interferência de pessoas de outras culturas, considerados da direita como os da Austria, Hungria, Italia, Republica Checa e outros são mais simpatizantes a Israel. Os considerados mais liberais, como a França, Suecia e países nórdicos são ingênuos e não querem ver a realidade que já age nos seus países.

FRANÇA

Na 2ª feira(10) um terrorista francês de 29 anos armado, abriu fogo no Mercado do Natal, na cidade de Strassboug, matou 2 pessoas e feriu outras 16. Ele já nasceu e cresceu na frança, para pais algerianos. Era criminoso, serviu pena de prisão por alguns anos e lá foi radicalizando, tornando-se jihadista. Enquanto atirava nos pacatos franceses entoava o “Allah u akbar”. Queria matar os cristãos por rivalidade religiosa. Depois de estar foragido por 4 dias, acabou sendo descoberto e morto pela policia.

ITALIA

O Vice 1º Ministro e o Ministro do Interior, Matteo Salvini visitou Israel esta semana. Entre outros, encontrou-se com o premier Netanyahu e o Ministro da Segurança Interna de Israel, Gilad Erdan. Visitou Yad Vashem (pela 4ª vez), ao Kotel e foi a fronteira com o Líbano ver pessoalmente um tunel cavado pela Hizballah. A proposito, as forças de Engenharia e de Inteligência continuam trabalhando e desvendando a rede de tuneis. Até agora já são 4 tuneis que penetraram em solo de Israel. Salvini, que é líder do Partido Liga criticou a Hizballah. Na entrevista com Erdan, o líder italiano disse:”quem quer paz, tem que apoiar Israel e defendê-lo. Israel é a fortaleza para a defesa da Europa e do Oriente Medio”. Netanyahu lhe pediu uma ação mais forte da Comunidade Internacional contra a Hizballah. Também lhe pediu para que a UNIFIL, sob o comando do General italiano Stefanodel Col aja mais energicamente e com rigidez contra as infrações de acôrdos por parte da Hizballah.

HUNGRIA

O governo húngaro financiará Instituto de Pesquisa do Antissemitismo e o Anti Israelismo entre os grupos da esquerda e do islão radical na Europa. Esta afirmação foi feita por Szabolcz Takacz, o Secretário dos Assuntos da União Europeia no gabinete do 1º Ministro da Hungria, que esteve em visita oficial em Israel 2 dias. O visitante reiterou: “a Hungria está muito preocupada com o ressurgimento do antissemitismo na Europa. É um problema que tem que ser combatido. Tem o que se chama antissemitismo tradicional , mas com novas características, entre anarquistas da esquerda e islamistas radicais. Eles introduzem o anti-Sionismo com antissemitismo inclusive tentando apagar elementos ligados ao Holocausto e não temos interesse nisso na Europa… a Hungria acompanha com preocupação o duplo padrão com respeito a Israel, que é um importante país amigo nosso e por isso trabalhamos juntos”. O governo de Orban está empenhado para transferir o Museo da História do Judaísmo Hungaro da cidade de Safed para Herzliya, onde será mais exposto ao grande público. Em Budapeste já há o Museo da Lembrança do Holocausto que foi aberto em 2001.

CURTAS:

A SISI ADVERTE MUÇULMANOS DE IR AO OCIDENTE. Foi no mês passado no Forum da Juventude Mundial realizado em Sharm al Sheik (Egito). O MEMRI publicou partes do discurso do Presidente do Egito, que também foi publicado no Daily Mail de Londres. O presidente Abed al Fatah a Sisi advertiu os egípcios que querem emigrar para o Ocidente de que a Europa não lhes abrira suas portas aqueles que não querem se integrar na cultura Ocidental. Cada país tem o direito de proteger os interesses dos seus cidadãos. Os emigrantes tem que obedecer totalmente as leis, tradições e cultura do país aonde preferem viver… em vez de perguntar porque o Ocidente fecha as portas para nos, vocês tem que se perguntar porque cidadãos do Afeganistão não recebem tratamento melhor do seu país. Porque eles se matam durante 40 anos. Nos (os muçulmanos) nos combatemos uns aos outros e aí vamos ao Ocidente pedir-lhes ter parte do seu sucesso… A Alemanha, Inglaterra, Italia e outros países europeus tem que defender suas fronteiras para garantir e preservar seus valores conquistados durante décadas e séculos. Vocês querem lhes levar nossa cultura e do ponto de vista deles, isso é inegociável… não esperem que os europeus nos abram as portas para que vocês vão lá e os prejudicarem”. O presidente egípcio criticou aqueles que reclamam dos países Ocidentais e não aos seus países de origem. Os cidadãos dos países árabes tem que resolver seus problemas nas suas pátrias e não emigrar ao Ocidente.” Palavras lúcidas e claras dadas pelo Presidente do Egito e não por um politico da direita europeia. Vale a pena distribuir.

AUSTRALIA RECONHECE JERUSALEM CAPITAL DE ISRAEL. Foi o que declarou o 1º Ministro, Scott Morrison, líder do Partido Liberal, que é um grande amigo de Israel e é evangelista. Ele admitiu que é uma mudança da politica que seu país tinha até agora.” Nós continuamos acreditar no principio de 2 Estados para 2 povos.” Pelos custos de transferir a embaixada, o primeiro passo será construir uma representação em Yerushalaim. O embaixador palestino na Australia protestou energicamente:”o status internacional da Australia vai ser prejudicado e também as relações com os países árabes e muçulmanos”. Só na última resenha escrevi e expliquei que o conflito no Oriente Médio é árabe-israelense e não só com os palestinos. Infelizmente, esta semana recebemos nova prova desta afirmação. A Liga árabe que congrega 22 países (tem 5 países observadores:Brasil, Venezuela, Eritreia, India e Armenia) alertou antes o Presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, de que o Brasil sofrerá prejuízos da Liga Arabe se transferir como quer – e como a lógica reza – a sua Embaixada para Jerusalem.

O VICE LÍDER DA HIZBALLAH ADVERTE. Naim Qassem alertou em entrevista ao jornal iraniano Al Wifaq: “não há nenhum lugar no Estado Sionista que não está debaixo da ameaça dos nossos mísseis”. Adicionou que Israel perdeu sua aptidão de discussão. Ele não mencionou a descoberta e as medidas que o EDI esta adotando contra os tuneis que Hizballah cavou para atacar Israel.

SKODA REVELA NOVO CARRO EM ISRAEL. O lançamento do novo modelo de carro o Scala foi escolhido para ser em Israel. Foi na presença de 400 jornalistas que cobrem o transporte de 22 países. O diretor geral da Skoda, o alemão Bernhard Mayer deu grandes elogios a Israel e disse: “o nosso lema são ideias espertas o que vocês aqui chamam de chutzpá. Em Israel há o maior número de start-ups relativamente aos habitantes, depois do Vale do Silicio. Por isso trabalhamos aqui com 13 deles”. O Scala é carro da familia, que pela 1ª vez a Volkswagen permite que concorra com o seu modelo Golfe.

DESCOBERTO ANEL PERDIDO DE FREUD. Aconteceu durante a exposição de anéis de Sigmund Freud, exposta há meses no Museo de Israel em Jerusalém. Esta teve grande repercução no mundo e chegou aos ouvidos da psicanalista inglesa, Dra. Irma Brenman Pick que contatou o museu e lhe emprestou um anel que pelo visto foi de um dos alunos preferidos do Freud, Ernest Jones. O anel tem imagem gravada em pedra que parece ser a imagem de Hipócrates, o pai da medicina moderna. Este anel foi mantido em sigilo e pelo visto pertencia ao Ernest Jones, amigo e dos alunos mais próximos de Freud. O filho do casal Jones, Marwin conheceu casualmente a psicanalista Brenman-Pick e se tornaram bons amigos. Na década dos anos 90 do século passado, êle lhe deu o anel do pai que agora esta exposto.

NICK CAVE CONDENA O BOICOTE DE ISRAEL. O cantor e compositor australiano e líder da Banda Bad Seeds declarou: “o boicote de Israel é covarde e vergonhoso”. Foi em resposta às pressões que geralmente Roger Waters e seus comparsas fazem a quem quer se apresentar no Estado Judeu. Cave se apresentou em Israel a última vez em novembro do ano passado e disse que continuará a fazê-la. “Uma das razões que devo me apresentar em Israel é para enfrentar aqueles que envergonham e pressionando tentam silenciar os músicos… apresentar-se em Israel não significa que me identifico com seu governo, é para um evento cultural e para alegrar os fãs”.

Print Friendly, PDF & Email