COMPARTILHAR

Quem no Brasil está contente com a forma de escolha dos ministros do Supremo?

Você que está lendo este texto, aceita de bom grado a escolha de 11 homens que mandam no Brasil através da única e exclusiva vontade do Presidente da República? Ou, será que prefere outra forma de escolha?

Você se sente confortável quando toma conhecimento de que o Supremo Tribunal Federal, hoje, está sendo presidido por um ministro que até ontem era advogado do partido político que perdeu as últimas eleições para Presidente da República, o PT? E, que não conseguia passar em concursos jurídicos por falta de qualificação intelectual?

Você fica feliz quando passa a saber que um dos ministros, dizem, possui uma máquina de soltar presos e a mulher dele é titular de escritório de advocacia que tem relacionamento com o manda-chuva da instituição dita reguladora da máfia dos transportes no Rio de Janeiro? Este cidadão mesmo, diversas vezes preso e logo solto pelo ministro em referência?

Como você se sente quando toma conhecimento de que este mesmo ministro quando é informado de que a Receita Federal está no encalço dele, procura o homem que traça a política do fisco em busca de maiores informações e sai dizendo por aí que está sendo vítima de chantagem e perseguição por parte de membros do órgão que o investiga?

Ao invés de se curvar à lei, quer que a lei se curve a ele e para que isso aconteça, não importa o que precisará arquitetar.

É claro que um ministro que define matérias que mudam o destino de pessoas, instituições e o rumo do país precisa ter salvaguardas que o permitam votar de acordo com os conhecimentos e a posição que tem, podendo livremente trabalhar consoante à consciência que construiu ao longo da vida jurídica que viveu e dos estudos que realizou.

Salvaguardas, só para garantir imunidade para pensar e tomar decisões, não para transgredir a lei!

É preciso que eu afirme aqui, como estou fazendo, que um país que não tem tranquilidade jurídica, não consegue trazer para a economia, investimentos estrangeiros e portanto, está fadado a não prosperar e a não se desenvolver.

Não há no Brasil, um único brasileiro satisfeito com 100% do quadro dos ministros do Supremo Tribunal Federal e muito menos com o processo de escolha deles.

Se você pode ser investigado, se todos nós estamos à mercê da lei brasileira, não vejo qualquer razão para que o ministro Gilmar Mendes esteja esperneando quando o pau que dá em Chico pode dar também em Francisco.

Ministro Gilmar, abra seus sigilos e demonstre que está quites com a lei e que as acusações que lhe fazem são fruto de devaneios e não possuem fundamento factual. É isto que espera a cidadania já cansada de pagar impostos para que haja duas classes de brasileiros:os possuidores de benesses e os otários que trabalham para sustentar mordomias.

Outro dia, o ministro Lewandovsky, aquele mesmo que rasgou junto com Renan Calheiros, a Constituição do Brasil para permitir direitos políticos a uma presidente que sofrera impedimento, reclamou e deu voz de prisão a um brasileiro que disse dentro de um avião, na bochecha dele, que tinha vergonha do SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. O tema viralizou nas redes com o filmete do entrevero.

E você, como se sente quando percebe, Gilmar, Tofoli e Lewandovsky de toga, resolvendo as coisas do nosso país? Respostas para a redação!

Print Friendly, PDF & Email