COMPARTILHAR

Khalil Gibran: o protesto literário contra a opressão aos libaneses

Quem diria que Espíritos Rebeldes, obra de Khalil Gibran publicada em 1908, seria pertinente nos tempos atuais? Segundo dados da agência de inteligência americana (a CIA), 55 nações têm a maioria das pessoas orientadas pela religião muçulmana, e a cultura machista como guia.

  • Sudão (2001): Abok Alfa Akok (18 anos) – acusada de adultério após alegar estupro, foi condenada a 75 chibatadas.
  • Iêmen: Elham Assim (13 anos) – amarrada e forçada a manter relações sexuais com o marido, de 23 anos, sangrou até a morte alguns dias após seu casamento.
  • Bangladesh (2008): Aisha Duhulowa (13 anos) – condenada à morte por apedrejamento acusada de fornicação depois de ter sido violentada por uma gangue.
  • Nigéria (2002): Safiya Hussaini (33 anos) – acusada por adultério e a pena foi de morte por apedrejamento.
Espíritos Rebeldes apresenta uma visão poética e filosófica de personagens oprimidos do Oriente Médio do início do séc. XX

Compre aqui

Espíritos Rebeldes denunciam aspectos da sociedade oriental que continuam presentes nos dias atuais, como a opressão às mulheres, a exploração do proletariado por parte dos grandes proprietários e a manipulação crassa de grupos étnicos e religiosos.

Publicado originalmente em inglês, em 1908, Espíritos Rebeldes (traduzido no Brasil também como Almas Rebeldes), do ensaísta, filósofo, poeta, prosador, conferencista e pintor Khalil Gibran, ganha uma nova edição pelo selo Mantra, da Edipro. A obra reflete toda a maestria do autor libanês e ainda faz os leitores transitarem nos limites entre poesia, filosofia e espiritualidade.

Lançado quinze anos antes de O Profeta, obra mais aclamada do escritor, a coletânea apresenta histórias de personagens oprimidos em um Oriente Médio submetido, às atrocidades do Império Otomano e ao poder arcaico e absolutista dos padres da Igreja Católica Maronita.

Espíritos Rebeldes denunciam aspectos da sociedade oriental que continuam presentes nos dias atuais, como a opressão às mulheres, a exploração do proletariado por parte dos grandes proprietários e a manipulação crassa de grupos étnicos e religiosos.

O primeiro conto da coletânea é intitulado de Wardé Al-Hani, que apresenta a história de uma jovem casada, não por fruto do seu amor, mas sim por uma negociação entre famílias, porém ela larga a riqueza para viver com o homem que ama. Já O Grito das Tumbas emite a mensagem atemporal da opressão dos fracos pelos fortes e faz uma dura crítica à pena de morte.

A história seguinte, O Leito Nupcial, apresenta uma temática reincidente nos contos de Gibran, a da imposição do casamento à mulher. A união matrimonial que começou alegre, terminará de maneira trágica.

Com este lançamento de Espíritos Rebeldes, a Edipro amplia sua coleção voltada à Khalil Gibran, que já conta com “Jesus, O Filho do Homem”, “O Profeta” (que em breve ganhará também uma edição de bolso), além de preparar o leitor para o lançamento de “A Voz do Mestre”.

Sobre o autor:

Khalil Gibran (1883-1931) foi um ensaísta, filósofo, prosador, poeta, conferencista e pintor de origem libanesa. Nasceu na cidade de Bsharri, no norte do Líbano, mas emigrou para Boston, nos Estados Unidos, com a mãe e os irmãos durante a infância. Foi nos Estados Unidos que começou a se interessar por arte, porém sua mãe e seu irmão incentivaram-no a retornar à sua terra natal aos quinze anos para que conhecesse melhor sua herança cultural. Em 1902, ao voltar aos Estados Unidos, Gibran começou a publicar textos em árabe, que chamaram a atenção da comunidade local, e a expor seus quadros, o que lhe deu a oportunidade de estudar em Paris. Seus primeiros livros foram escritos em árabe. Fazem parte dessa produção inicial obras como A música (1905), As ninfas do vale (1906), Asas partidas (1912), Uma lágrima e um sorriso (1914), A procissão (1919) e Temporais (1920). A partir de 1918, Gibran começou a escrever em inglês, publicando obras de sucesso como O precursor (1920), O profeta (1923), Areia e espuma (1926), Os deuses da Terra (1931) e A voz do mestre (1963). Esta última, uma obra póstuma. Gibran morreu em 1931, aos 48 anos, em Nova York, vítima de cirrose e tuberculose.

Ficha técnica:
Editora: Mantra
Gênero: Literatura
Preço: R$ 45,00
ISBN: 9788568871119
Edição: 1ª edição, 2018
Tamanho: 14×21 cm
Número de páginas: 96
Compre aqui

Print Friendly, PDF & Email