COMPARTILHAR

Como resultado da Guerra de Suez, em 1957 a ONU instalou em Gaza uma Força de Paz, a UNEF – United Nations Emergency Force. Havia contingentes de 13 paises, e o Brasil participou ativamente com 20 contingentes que se revezavam a cada 6 meses, de unidades procedentes de diversos estados, até que Nasser exigiu a retirada da UNEF há exatos 50 anos, seguindo-se a Guerra dos 6 Dias, iniciada a 5 de junho de 1967.

O 12º Batalhão de Infantaria de Belo Horizonte forneceu um desses contingentes, e hoje no museu do quartel podemos apreciar as imagens do encontro proibido entre uma patrulha do batalhão e soldados israelenses. Furtivamente, os soldados brasileiros faziam contato na fronteira com membros de kibutzim proximos, e mesmo soldados israelenses que falavam portugues ou espanhol, já que o Kibnuz Bror Chail, na época com grande numero de brasileiros ficava proximo, bem como outros com grande numero de argentinos, uruguaios e chilenos.

Print Friendly, PDF & Email
COMPARTILHAR
Artigo anteriorA música israelense se encontra com o ritmo brasileiro
Próximo artigoUma música para o Shabat
Israel Blajberg
Há 10 séculos seus antepassados paternos saíram de Bleiberg, na Carinthia (Áustria), firmes como o chumbo (Blei) e imponentes como a montanha (Berg), entrando na Polônia sob o Grande Rei Kazimierz. Teve a honra de ser o primeiro Blajberg nascido no Brasil (Rio de Janeiro, 1945), estando hoje a família na terceira geração verde-e-amarela. Professor da UFRJ e UFF e Engenheiro do BNDES, aposentado em 2015. Palestrante e Autor de livros e artigos sobre Historia do Brasil, Militar, Judaica, Genealogia e Viagens. Membro das Ordens do Mérito da Defesa, Naval, Militar e Aeronáutico, e Medalha Pro-Memoria da Republica da Polônia.