COMPARTILHAR

inspiração

“Moisés reuniu toda a assembleia do povo de Israel.” Essas são as palavras de abertura da Parashá Vayakhel, que lemos nessa semana. Moisés havia acabado de descer do Monte Sinai, de onde trazia o perdão Divino contra o pecado do bezerro de ouro. Rashi, o comentarista por excelência da Torá, nos conta que essa reunião ocorreu no dia seguinte ao Yom Kipur e, nela, foi ordenado ao povo que construísse o santuário.

Mas por que é tão importante saber que isso ocorreu no dia seguinte a Yom Kipur? Talvez porque nosso grande desafio seja, passada essa data sagrada, manter-nos espiritualmente elevados. Convenhamos: é relativamente fácil elevarmos nossas almas no dia mais sagrado do ano e o grande teste é permanecer nesse patamar nos dias e semanas seguintes.

Será que continuamos inspirados ou será que o nosso entusiasmo diminuirá logo após a prece de Neilá? Quantas sinagogas estão cheias na hora de Neilá e precisam lutar para reunir um minian no dia seguinte? Esse assunto, no entanto, não está apenas ligado à nossa vida religiosa. Pensemos em nossa atitude após a lua de mel ou no quinto aniversário de casamento. Mantivemos nosso compromisso e permanecemos no mesmo nível sublime ao longo de todo o percurso?

Muitas pessoas ficam inspiradas em um momento ou outro. Ao longo dos anos, vi centenas de homens e mulheres que dedicam-se à vida judaica por alguns períodos para, depois, voltar aos velhos hábitos e estilos de vida. Isso não ocorreu porque ele se desvencilhou de seu compromisso, mas porque não soube criar um “programa sustentável” de vida que o levasse a manter essa chama acesa.

Tão importante quanto a elevação espiritual em si é a criação das condições que nos ajudarão a manter a força de nossas decisões. Para termos sucesso no longo prazo, devemos ter um plano pragmático e viável que nos conduza até o fim. Caso contrário, que D’us não permita, nossos mais fervorosos sentimentos momentâneos podem se transformar em “fogo de palha”.

Que possamos sempre nos inspirar e, em seguida, encontrar uma forma de garantir a permanência de nossa elevação.

Shabat Shalom!

Rabino Eliyahu e Rivky Rosenfeld

Print Friendly, PDF & Email