JRI-POLAND e os Brasileiros de Raízes Judaicas Polonesas

JRI-POLAND e os Brasileiros de Raízes Judaicas Polonesas

554
0
COMPARTILHAR

por Israel Blajberg – Recente artigo do genealogista STANLEY DIAMOND é de grande interesse para os judeus brasileiros descendentes de poloneses que desejam pesquisar suas raizes, após 4 ou 5 gerações no Brasil.

O Consul Geral da Polonia Andrzej Szydło observa enquanto Stanley Diamond, Diretor-Executivo do Jewish Records Indexing-Poland assina o convênio, em 01 fev 2013 no Consulado Geral da Polônia em Montreal, sendo subsequentemente assinado no PSA – Varsóvia em 15 fev 2013.
O Consul Geral da Polonia Andrzej Szydło observa enquanto Stanley Diamond, Diretor-Executivo do Jewish Records Indexing-Poland assina o convênio, em 01 fev 2013 no Consulado Geral da Polônia em Montreal, sendo subsequentemente assinado no PSA – Varsóvia em 15 fev 2013.

A prestigiosa AVOTAYNU, revista de genealogia judaica editada em Nova Jersey, publicou em principios de 2013 (Vol XXIX, nº. 1) esclarecedor texto sobre a criação e desenvolvimento do JRI-POLAND, Jewish Records Indexing-Poland, o conhecido repositorio na Internet (www.jri-poland.org) dos registros vitais judaicos no PSA-Polish State Archives, ou seja, as fichas cartoriais de nascimentos, casamentos e óbitos dos judeus poloneses ao longo dos séculos.

O autor Stanley Diamond, genealogista de Montreal, conseguiu com a ajuda de um exército de voluntários, criar o maior banco de dados genealogico judaico na Internet, do qual é diretor executivo desde 1997, contendo mais nomes que a própria base do Yad vaShem. Em 15 de fevereiro de 2013, o JRI-Poland e o PSA – Arquivo do Estado Polonês estabeleceram um convenio que facilitará mais ainda o acesso, com expansão dos atuais cinco milhões de registros, digitalização de registros dos 30 arquivos regionais para consulta gratuita, e pagamento por cartão de crédito.

OS PRIMORDIOS DA JRI-POLAND

A Polónia abrigou o maior percentual de judeus do mundo no século 19, e o volume de registros cuidadosamente preservado pelo Arquivo do Estado Polonês é impressionante. Em 1994 Stanley convocou pesquisadores da Polonia Judaica para um enorme esforço de indexação. Hoje, em seu ano Hai – 18 desde a fundação, o sonho distante se tornou realidade, com as imagens dos registros na Internet.

A idéia inicial de criar o JRI ocorreu na primeira visita de Stanley a Salt Lake City em 1994, como participante da Viagem Anual de Pesquisa Genealógica Judaica, com o Editor de Avotaynu, Gary Mokotoff. Apos uma semana pesquisando microfilmes dos Mormons em busca de parentes que poderiam ser portadores da Talassemia Beta, característica genética da sua família, ele concluiu que estava repetindo o que muitos outros já tinham feito, e que deveria existir uma melhor maneira de fazer essa busca.

Desde seu modesto início em 1995, o JRI-POLAND incorporou muitas outras fontes alem dos microfilmes dos Mormons e do PSA, incluindo censos, arquivos militares, cemiteriais, anúncios de familiares desaparecidos no Monitor Polski, anuncios de casamento e óbito e até registros do exército russo da Primeira Guerra Mundial, tornando-se um modelo no mundo genealógico. Agora, 18 anos depois, o banco de dados contem cinco milhões de registros de nascimentos, casamentos e óbitos de mais de 550 cidades. É o maior banco de dados on-line do mundo de registros vitais judaicos.

Evolução da Base de Dados do Jewish Records Indexing-Poland
Evolução da Base de Dados do Jewish Records Indexing-Poland

BENEFICIARIOS DO JRI

O JRI-Polónia e seus voluntários têm sido fundamentais para localizar crianças judias que foram entregues a famílias polonesas ou conventos, traçando sua linhagem judaica, e em alguns casos descobrindo sua própria identidade. Outros conseguiram identificar familiares, como por exemplo um meio-irmão filho da primeira mulher de um pai que pereceu no Holocausto, e preparar Páginas de Testemunho para o Yad Vashem. Quando um judeu de origem polonesa precisa localizar uma paridade genética para transplante de medula óssea ou tecido, ou algum outro procedimento médico, o JRI-POLAND facilita a busca de parentes até então desconhecidos, que podem vir a ser doadores e salvar uma vida. Outras utilidades sao a prova de parentesco para descendentes buscando adquirir cidadania polonesa, informações de potenciais herdeiros, e até mesmo permitir a uma mulher israelense provar sua herança judaica, elegivel portanto para o casamento religioso. O projeto obteve reconhecimento internacional. Muito do seu sucesso deriva da captação de recursos específica que incentiva os pesquisadores a financiar a indexação de registros para suas proprias cidades.

O FUTURO DO JRI-POLAND

Há que preservar e manter os dados já obtidos, ao mesmo tempo em que se processam, indexam e digitalizam as centenas de milhares de novos registros que anualmente se tornam disponiveis, pois ao completar 100 anos, os escritorios locais do Registro Civil transferem as fichas para o PSA. Para cumprir sua missão, o JRI-POLAND necessita o apoio contínuado dos pesquisadores, voluntários dedicados e todos aqueles que compartilham da sua visão sobre a importância da preservação da memória, assegurando a continuidade do projeto.

Israel Blajberg é Brasileiro nato de 1ª Geração. Seus pais eram oriundos de Ostrowiec e Ilza, na região de Kielce, Polonia.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPerigo, Perigo
Próximo artigoOposição substituta
Israel Blajberg
Há 10 séculos seus antepassados paternos saíram de Bleiberg, na Carinthia (Áustria), firmes como o chumbo (Blei) e imponentes como a montanha (Berg), entrando na Polônia sob o Grande Rei Kazimierz. Teve a honra de ser o primeiro Blajberg nascido no Brasil (Rio de Janeiro, 1945), estando hoje a família na terceira geração verde-e-amarela. Professor da UFRJ e UFF e Engenheiro do BNDES, aposentado em 2015. Palestrante e Autor de livros e artigos sobre Historia do Brasil, Militar, Judaica, Genealogia e Viagens. Membro das Ordens do Mérito da Defesa, Naval, Militar e Aeronáutico, e Medalha Pro-Memoria da Republica da Polônia.