COMPARTILHAR

O Hackathon Einstein-Insper 2017 reuniu cerca de 90 alunos de medicina, enfermagem, engenharias, economia e administração das duas instituições para discutir desafios de um hospital de alta complexidade e propor soluções inovadoras dedicadas a aprimorar a gestão dos recursos, eficiência no atendimento e segurança dos pacientes.

Após semanas de cursos e imersões no Hospital Israelita Albert Einstein e 12 horas de trabalho intenso no último domingo, com coaching de profissionais experientes, os alunos apresentaram oito protótipos inovadores. Temas envolvendo banco de sangue, gestão e análise de dados dos hospitais (Big data), bem-estar de pacientes oncológicos, diminuição de erros de medicação na UTI, entre outros, foram o foco dos grupos.

Os projetos apresentados focaram em:

  • Estruturar um serviço para aprimorar o gerenciamento de estoque de bolsas de sangue e a melhoria na relação entre doadores e hemocentros;
  • Aplicativos para incentivar os pacientes com câncer em tratamento e pós-tratamento a utilizarem serviços voltados para nutrição, fisioterapia e acompanhamento psicológico;
  • Big data para analisar dados de prontuários eletrônicos hospitalares automaticamente, gerando informações úteis para gestão hospitalar e do sistema de saúde;
  • Carrinhos de emergência inteligentes, com cálculo de dosagens e execução de dosagens de medicamentos automatizados;
  • Ferramentas dinâmicas que facilitem a comunicação entre os diferentes profissionais do hospital;
  • Desenvolvimento de sistemas de geolocalização para hospitais.

Os próximos passos são a análise profunda de cada projeto pelos comitês de ensino, pesquisa e inovação do Einstein para definição de quais são mais estratégicos e poderiam ser concretizados, mantendo os alunos como autores e co-desenvolvedores da ideia.


Also published on Medium.