COMPARTILHAR

Co-líder de um projeto internacional de tomografia de nuvens, ele pesquisa os mecanismos de evolução das chuvas e como são afetadas em decorrência das atividades humanas

O Prof. Ilan Koren, cientista do Departamento das Ciências da Terra e Planetárias do Instituto Weizmann de Ciências (WIS), estará em São Paulo entre os dias 21 de julho e 4 de agosto, para palestrar na Escola São Paulo de Ciência Avançada (SPAS).

O curso, patrocinado pela FAPESP, e que acontece na na Universidade de São Paulo (USP), tem como objetivo reunir jovens cientistas e pesquisadores de todo o mundo que são referência nessa área, para discutirem sobre os aerossóis atmosféricos, bem como suas propriedades, medições, modelagem e efeitos no clima e na saúde.

Nascido em Tel Aviv, o Prof. Koren fez graduação, mestrado e doutorado no departamento de Geofísica e Ciências Planetárias da Universidade de Tel Aviv e passou três anos fazendo pesquisa pós doutoral no Centro de Pesquisa em Clima e Radiação do Centro Goddard da NASA.

Ilan Korem. Foto: Instituto Weizmann de Ciências
Ilan Korem. Foto: Instituto Weizmann de Ciências

As grandes perguntas que hoje ele se faz são: Estamos enfrentando mudanças climáticas? Em que grau isso acontece por conta da atividade humana? Como as mudanças climáticas afetam o ciclo da água?

Apaixonado pelas nuvens, o prof. Koren as observa por todos os ângulos, segue sua evolução no tempo e no espaço e procura entender as complexidades da física da chuva. É assim que seu time pesquisa os mecanismos de evolução das chuvas e as nuvens, e como são afetados pelas mudanças climáticas em decorrência das atividades humanas.

No Weizmann desde 2005, o prof Koren lidera uma pesquisa que recebeu €14 milhões do Conselho de Pesquisa Europeu (European Research Council (ERC), em conjunto com outros dois cientistas de Israel (Technion), e da Alemanha.

A abordagem, chamada Cloud Tomography, usa algoritmos de TC medicamente inspirados para permitir uma frota coordenada de 10 minúsculos satélites, cada um do tamanho de uma caixa de sapatos, para reunir imagens das estruturas 3D externas e internas das nuvens, bem como o tamanho e concentração da água. As nuvens desempenham um papel fundamental no balanço energético da Terra e no seu ciclo da água, e essa estratégia deve ajudar os cientistas a coletar informações que possam ajudar a esclarecer as mudanças climáticas.

A missão espacial científica – chamada CloudCT – terá como alvo pequenos campos de nuvem que muitas vezes são perdidos por tecnologias de sensoriamento remoto e, espera-se, resolverão alguns dos desconhecidos que cercam a previsão climática.

Depois que os satélites forem lançados em órbita, eles adotarão a formação de um “enxame” de satélites em movimento contínuo e em rede, espalhado por centenas de quilômetros. Os satélites coletarão imagens permitindo que os cientistas obtenham informações 3D sobre como essas nuvens influenciam e respondem às mudanças nas condições ambientais.

Localizado em Rehovot, Israel, o Instituto Weizmann de Ciências é uma das mais respeitadas instituições de pesquisa multidisciplinar no mundo. O Instituto abriga cerca de três mil cientistas, estudantes, técnicos e equipe de apoio.

O Weizmann desenvolve uma ampla gama de pesquisas baseadas na curiosidade, para gerar conhecimentos em benefício da humanidade. O Instituto está sempre em busca de novos caminhos para combater doenças e a fome, desenvolver novas tecnologias e materiais e criar estratégias para proteger o meio ambiente.

Saiba mais em:

Print Friendly, PDF & Email