COMPARTILHAR

Em viagem a Israel, a Federação Sul Americana de Krav Maga homenageia Imi Lichtenfeld, o criador da modalidade. Acompanhados por Grão Mestre Kobi Lichtenstein, o introdutor do Krav Maga na América Latina e aluno direto de Imi, os alunos visitaram o tumulo e prestaram suas homenagens no aniversário de sua morte.

No dia 9 de janeiro, dia do falecimento de Imi Lichtenfeld, o criador do Krav Maga, a modalidade de defesa pessoal israelense, uma delegação de alunos da Federação Sul Americana de Krav Maga prestou sua homenagem em visita ao túmulo de Imi, em Israel. Acompanhados pelo israelense Grão Mestre Kobi Lichtenstein (faixa-preta – 8º Dan), o introdutor da modalidade na América Latina e aluno direto de Imi, os alunos ouviram um pouco mais sobre a sua história de vida, que até hoje é relembrada e vivenciada pelos praticantes do Krav Maga.

“Eu me lembro, quando viajava para o Brasil, a 14 mil quilômetros de Israel, ao ligar para Imi, a primeira coisa que ele me perguntava, antes de mais nada, era como eu estava, como estava a minha saúde. Até o último dia dele, Imi só se preocupou em como conseguiria fazer mais pelos outros. Esse foi Imi”, contou Grão Mestre Kobi para os alunos que o acompanharam nessa viagem.

De janeiro e fevereiro de 2020, a Federação Sul Americana de Krav Maga levará três delegações de alunos para Israel, o berço do Krav Maga. Sempre em na companhia de Grão Mestre Kobi, as delegações visitarão pontos históricos para o Krav Maga, conhecerão as raízes da arte de defesa pessoal, realizarão treinamentos especiais e conhecerão de perto a história do povo israelense.

Desde 1994, Grão Mestre Kobi leva grupos de alunos para treinarem e conhecerem Israel. Em 1998, quando o criador do Krav Maga faleceu, as viagens foram interrompidas e só foram retomadas em 2011, sendo realizadas a cada dois anos. Em 2020, pela primeira vez, serão três delegações que participarão de treinamentos na neve e no deserto, treinamento antiterror, encontros com beduínos, além de passeios no Deserto da Judeia, em lugares sagrados em Jerusalém, no Mar da Galileia e no Rio Jordão, visitas a museus, escavações arqueológicas e ao parlamento.

Grão Mestre Kobi explica: “há 30 anos, cheguei à América Latina, mais precisamente ao Rio de Janeiro, e de lá para cá venho realizando, com a minha equipe, um trabalho sério e responsável, desenvolvido para preservar ao máximo o Krav Maga da maneira como foi criado por Imi”. E completa: “Hoje, o Krav Maga Mestre Kobi tem o reconhecimento mundial sobre sua qualidade e poder trazer os alunos para vivenciar a origem dessa história é uma grande alegria na comemoração desses 30 anos de trabalho”.

Print Friendly, PDF & Email