COMPARTILHAR

Este artigo foi escrito e publicado antes da convocação das eleições antecipadas em Israel. Ben Caspit, colunista do Al-Monitor, vazou detalhes do “acordo definitivo” da administração Trump para resolver o conflito israelense-palestino. Citando uma “fonte diplomática do alto escalão”, anônima, ele escreve o que faz parte do plano Trump, ainda secreto, a clara divisão de Jerusalém em três setores, e “não inclui uma capital palestina em Abu-Dis (um vilarejo palestino na região sob governança de Jerusalém) e sim significativos setores de Jerusalém Oriental”.

De acordo com a fonte, haverá duas capitais em Jerusalém: a capital israelense em Jerusalém Ocidental, incluindo o controle do Muro das Lamentações e bairros judeus em alguns setores na região leste da cidade e a capital da Palestina na região leste. Além disso, haverá a terceira região, dentro da Bacia Sagrada (termo que identifica a área geográfica em Jerusalém, abrangendo a Cidade Velha e territórios adjacentes), que ficará sob controle internacional.

Print Friendly, PDF & Email