COMPARTILHAR

A carta teve como objetivo manifestar o repúdio da comunidade judaica brasileira ao voto do Brasil em relação a Jerusalém na Assembléia Geral da ONU.

Exmo. Sr.
Dr. Michel Temer
DD. Presidente da República Federativa do Brasil

Senhor Presidente

Em nome da Confederação Israelita do Brasil, que tenho a honra de presidir, servimo-nos do presente para lamentar que o Brasil, mais uma vez, tenha votado na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas a favor de uma proposta que desconhece a conexão do povo judeu com Jerusalém e que nega, ao Estado de Israel, qualquer aspiração de soberania sobre aquela cidade.

Vários de nossos vizinhos na América Latina já têm deixado de se alinhar com esse tipo de resolução, frequentemente apresentadas nos organismos internacionais, por países que abertamente pregam a destruição de um Estado com o qual mantemos excelentes e duradouras relações diplomáticas. Hoje, por exemplo, Argentina México, Colômbia e Paraguai, entre nossos principais parceiros na região, preferiram o caminho da abstenção.

Infelizmente, a posição do Brasil não tem honrado a memória de Oswaldo Aranha, um brasileiro ilustre que, há setenta anos, presidiu a mesma Assembleia Geral que adotou a Resolução nº 181, criando dois Estados na Palestina, ainda hoje uma solução viável para se alcançar a paz naquela região. Os que o combatiam, naquela época, continuam não aceitando a legitimidade do Estado de Israel e patrocinando esse tipo de iniciativa.

Com a convicção de que estas palavras venham a sensibilizar Vossa Excelência, um governante de reconhecidas posições e conciliatórias, despedimo-nos com a esperança de que, ainda no governo de Vossa Excelência, essa tendência seja revertida.

Atenciosamente,

Fernando K. Lottenberg
Presidente da Conib – Confederação Israelita do Brasil


Also published on Medium.