Concerto Joias Brasileiras em Cordas no Centro de Música Brasileira

Concerto Joias Brasileiras em Cordas no Centro de Música Brasileira

183
0
COMPARTILHAR

No dia 17 de junho, sábado, às 20h, acontece o concerto Joias Brasileiras em Cordas no Centro de Música Brasileira (CMB) com a Orquestra de Cordas Laetare no Centro Britânico Brasileiro. A regência é de Muriel Waldman com a participação de Celina Charlier na flauta transversal. No repertório obras de Antonio Ribeiro, Chiquinha Gonzaga, Claudio Santoro, Francisco Mignone, Glauco Velasquez, Henrique Osvald, Osvaldo Lacerda e Silvia de Lucca. Apoio Cultural da Cultura Inglesa de São Paulo. Grátis!

A Orquestra de Cordas Laetare, onde o nome significa “alegrar” e também “se alegrar”, é constituída por 27 músicos (violinistas, violistas, violoncelistas e contrabaixistas). Já se apresentou em teatros, como o Grande Otelo e o SESI/Paulista, Igrejas, como a Capela do Beato Anchieta no Pateo do Collegio, a Catedral Evangélica, Igreja do Sagrado Coração de Jesus, e nas cidades de Franca, São José dos Campos, Campinas, Piracicaba e Caraguatatuba.

Programa:

  • Henrique Oswald – Dois Minuetos em Ré maior
  • Glauco Velasquez – Suíte para Cordas
  • Francisco Mignone – Elegia
  • Antonio Ribeiro – Miniaturas para Flauta transversal e Orquestra de Cordas (Melodia, Valsa, Modinha e Final)
  • Com a solista: Celina Charlier
  • Silvia de Lucca – Suite Sun d’Oro
  • Claudio Santoro – Ponteio para Orquestra de Cordas
  • Osvaldo Lacerda – Quarteto de cordas nº 1 transcrito para Orquestra de Cordas (Prelúdio e Fuga, Ária e Dança)
  • Chiquinha Gonzaga – Atraente
  • Variações sobre o Gaúcho (Cá e lá e Corta Jaca) (transcrição de Nilcéia Baroncelli)

Temporada 2017 do Centro de Música Brasileira:

19 de agosto
1ª Parte: Paulo Porto Alegre (Violão)
2ª Parte: Maria Helena Andrade (Piano) – do Rio de Janeiro

23 de setembro
1ª Parte: Duo Cerri-Botelho, Sérgio Cerri (Flauta) – de Ribeirão Preto e Flávia Botelho (Piano) – de Ribeirão Preto
2ª Parte: Coral da Cultura Inglesa – Marcos Júlio Sergl (Regente)

21 de outubro – Homenagem ao Mês da Criança
1ª Parte: José Artur Souza (Piano)
2ª Parte: Antonio Carlos de Magalhães (Cravo) – “Cravo e Cirandas” – de Belo Horizonte

18 de novembro
1ª Parte: Weber de Assis (Canto) – de Goiânia
2ª Parte: Festival Fernando Cupertino, Consuelo Quireze (Piano), Weber Assis (Canto), Cleverson Cremer (Viola). Todos músicos são de Goiânia.

Currículos:

A Orquestra de Cordas Laetare formou-se em 2007, já tem lugar de destaque entre as formações camerísticas paulistas de qualidade. Ela é constituída por vinte e seis músicos (violinistas, violistas, violoncelistas e contrabaixistas), regidos pela Maestrina Muriel Waldman e foi criada para realizar um Projeto de Ação Cultural da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, pelo qual são levados concertos comentados para as escolas e, através desta atuação, familiarizar e desmistificar a música clássica entre os jovens.

Os objetivos da Orquestra são:

  • aprimorar constantemente seu nível técnico e artístico;
  • estabelecer um sólido repertório tradicional, pesquisar e divulgar obras pouco conhecidas;
  • divulgar de maneira enfática os compositores brasileiros;
  • prosseguir com a missão de divulgação da música clássica e formação de plateia para o futuro, realizando, além de concertos em salas normais, apresentações em escolas e outros locais não convencionais.

Em 2016, entre outros projetos, a Orquestra se dedicou ao tema “Mulheres Compositoras”, resultado de extensa pesquisa. Esta iniciativa resultou na gravação de um CD que obteve expressiva repercussão. Em 2017, a Orquestra planeja continuar na pesquisa deste tema, dando ênfase ainda maior às compositoras brasileiras e, em comemoração aos seus dez anos de existência, gravar novo CD.

Muriel Waldman é regente de orquestra e de coro. Dirige a Orquestra de Cordas “Laetare” e o Coral “Vox Jubili”. Profundamente engajada na valorização da música erudita nacional, tanto antiga como contemporânea, Muriel Waldman desenvolve um repertório extenso com obras corais e orquestrais de todas as épocas.

Seu gosto pela pesquisa a levaram a desenvolver repertórios originais sobre diversos temas, como “A Música do Teatro Ídiche”, “A Música Klezmer” e “As Mulheres Compositoras”. Esta última pesquisa resultou na gravação de um CD com a Orquestra de Cordas Laetare, intitulado “Mulheres Compositoras em Concerto”, de expressiva repercussão.

Muriel Waldman graduou-se em Física pela Universidade de São Paulo e, posteriormente, o seu amor pela música a fez cursar a Faculdade Santa Marcelina de Música. Obteve o título de Mestre em Musicologia e Práticas Interpretativas pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo.

Como bolsista, cursou Análise e Regência das Cantatas de Johann Sebastian Bach, na Internationale BachAkademie de Stuttgart (Alemanha), onde trabalhou com o célebre Maestro Helmuth Rilling.

Na Regência de Orquestra, seus professores foram Roberto Farias, Aylton Escobar, Lutero Rodrigues, Eleazar de Carvalho e Ernani Aguiar e, na Regência Coral, Naomi Munakata. Participou de diversos festivais e MasterClasses, em particular, com Fábio Mechetti, H.-J. Koellreuter e Carlyle Weiss. Nas matérias teóricas, foi aluna de Osvaldo Lacerda e Almeida Prado, com os quais estudou também composição.

Celina Charlier é Bacharel em Flauta pela UNESP, Mestre em Flauta e PhD em Flauta pela New York University, desde 1989 Celina tem tocado profissionalmente como solista, camerista e musicista de orquestra: concertos sinfônicos, recitais de música de câmara, solos com orquestra, recitais de flauta solo, ópera, teatro musical, ballet, shows de música popular, concertos didáticos para crianças, música incidental para teatro, trilhas de filmes, desenhos animados, role playing game, e produções artísticas multimídia através da internet, com um repertório que abarca da Música Antiga à música contemporânea de vanguarda, incluindo gêneros brasileiros.

Radicada há 18 anos em New York, Celina tem intensa carreira como concertista internacional, apresentando-se no Brasil, Argentina, Itália, Malta, França, Suíça, México, Estados Unidos, Sri Lanka e Emirados Árabes. Além de flautista e professora, também atua profissionalmente como regente e arranjadora.

O Centro de Música Brasileira – CMB é uma sociedade civil sem fins lucrativos, fundada em São Paulo, em 18 de dezembro de 1984, iniciando suas atividades em 29 de abril de 1985, no Teatro de Cultura Artística (Sala Rubens Sverner), com um recital de Eudóxia de Barros. Visa a defender e promover maior divulgação da música brasileira erudita de todas as épocas e estilos. Grande parte dos intérpretes que se apresentam são jovens no início de suas carreiras de instrumentistas, cantores ou regentes.

Osvaldo Lacerda foi o Presidente até 2011 e atualmente é a pianista Eudóxia de Barros.
O CMB realizou 321 apresentações em São Paulo, e um total de 47 em cidades do interior dos Estados de São Paulo e Minas Gerais. Por duas vezes recebeu Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA, pelo trabalho realizado em prol de nossa música.

Não conta com subsídios de entidades nem particulares, nem governamentais, com exceção de esporádicos patrocínios dos prêmios dos concursos ou apoios culturais: Banco Francês e Brasileiro, Metal Leve, PADO S/A., Funarte – MINC, Rotary Club de São Paulo, Orquestra da RTC, SESC, Academia Brasileira de Música, Cultura Inglesa, Bovespa, Grupo Arão Sahm, Casa Manon, Pianos Fritz Dobbert, Orquestra Sinfônica De Campinas, Ballet Stagium, Unibero, Sabó Ind. e com Ltda., e mais recentemente, um grande apoio da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo.

Financeiramente, sobrevive graças às anuidades pagas por seu quadro social, e que foram estipuladas em R$ 100,00 (individual) e R$ 150,00 (casal) a partir deste ano, podendo ser enviadas para a sede da entidade: Rua Santarém, 269 Bairro Perdizes, CEP 01251-040 São Paulo-SP. Desde 1995, recebe um valioso apoio cultural da Cultura Inglesa de São Paulo, podendo realizar seus recitais mensais da temporada, na Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico, em Pinheiros.

Promoveu vários concursos de Interpretação, de âmbito nacional: 7 da Canção de Câmara Brasileira; 5 de Músicas Brasileiras para Piano; 2 de Músicas Brasileiras para Flauta.
Promoveu um Concurso de Monografia “O Dobrado” (marcha cívica e militar brasileira), e dois de Composição: o primeiro, em parceria com a Biblioteca Municipal “Mário de Andrade” (São Paulo) e mais recentemente, em 2008, um Concurso de Tocata para Piano, vencido em 1º lugar por Nelson Lin, que teve como prêmio, alem de uma vultosa quantia oferecida pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, ainda a impressão de sua Tocata, pela Academia Brasileira de Música.

O 2º prêmio foi para Edson Sant´Anna. Foram marcantes os dois recentes Concursos promovidos pelo Centro de Música Brasileira, em dezembro de 2009, curiosamente realizados na Casa Mário de Andrade: o II Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Flauta e o V Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Piano, que tiveram grandes prêmios oferecidos pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. E em 2015, o Concurso de Interpretação Pianística da obra de Osvaldo Lacerda.

Saiba mais em:

Serviço:

Dia 20 de maio, sábado, às 20h
Centro de Música Brasileira (CMB)
Concerto Joias Brasileiras em Cordas
Orquestra de Cordas Laetare – regência de Muriel Waldman
Participação de Celina Charlier (flauta transversal)
Local: Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico
Rua Ferreira de Araújo, 741 – Pinheiros – São Paulo
Tel: (11) 3039 0500
Capacidade: 160 lugares / Classificação Livre
Grátis!