COMPARTILHAR

Cada vez esta mais dificil de escolher os temas, ja que os acontecimentos nesta região acontecem numa velocidade de trem bala. Escolhi o das negociaçoes entre Israel e os palestinos, a visita de Neymar com o Barcelona F.C. em Israel, jogadores egipcios do Basel boicotam Israel, o roqueiro Eric Barden boicota nao boicota, a Telefonica do Brasil contrata a israelense Ceragon, o Technion resolve o problema da seca, jovens israelenses se destacam em ciencias e na musica.

SERA QUE DESTA VEZ A PAZ SAIRA?

Esta semana reiniciaram, quem sabe quantas vezes, as negociaçoes entre israelenses e palestinos em meio a desconfiança total de um lado pelo outro e vice versa. So a incansavel pressao e determinaçao do Secretario de Estado americano, John Kerry conseguiu reunir os dois lados em Washington, onde terao o mediador americano, Martin Indyk, ex embaixador americano em Israel, intermediando as conversas que procedirao em Jerusalem e Ramallah.O tempo previsto para tentar alcançar um acordo de paz eh de 9 meses.

No lado israelenses a aceitaçao de participar nestas negociaçoes foi dificil, principalmente pela pre condiçao imposta pelos palestinos de libertar 104 terroristas que estao na prisao israelense ha mais de 20 anos. O chefe do Shabak (Serviço de Segurança Geral) deu o parecer da sua organizaçaode que parte dos terroristas nao deveria sair da prisao e uma parte se libertada deve ser expulsa para a Faixa de Gaza ou para o exterior. Dos 104 presos, 25 sao de Gaza, 55 da Judeia e Samaria (Cisjordania), 10 de Jerusalem Oriental e o pior eh a exigencia de libertar 14 arabes israelenses que na realidade esta demanda eh uma intervençao nos assuntos internos de Israel, ja que eles sao cidadaos israelenses. Os terrorisats nao estao na prisao por vingança, eles foram julgados em tribunais por assassinarem 55 civis, 16 soldados e dezenas de palestinos acusados por eles de colaborarem com Israel,alem de ferir centenas de pessoas.

Todos eles atentaram contra alvos civis, como as explosoes de onibus ou matar uma mae com seus 3 filhos, nao foram contra alvos militares. O premier Netanyahu que ja declarou querer 2 paises para os dois povos, sofre pressao do seu proprio partido. Na votaçao do gabinete pela libertaçao dos terroristas palestinos (28.7.13), 13 ministros foram a favor, 7 contra e duas abstençoes, quando do Likud somente 2 ministros foram a favor, 2 contrarios e 2 se abstiveram. Israel teve que ceder e se comprometer pela libertaçao dos 104 terroristas, principalmente depois que entregou ao Hamas 1000 presos pelo soldado capturado Gilead Shalit que com todo o respeito todos queriam ver em casa, mas nao eh um heroi. Esses assassinos para os israelenses e para todo ser humano no mundo que condena assassinato de inocentes civis, sao considerados pelos palestinos de herois.

Nao ha nenhuma duvida de que a grande maioria dos israelenses querem um acordo de paz, mesmo que envolva a dolorosa operaçao de retirar algumas dezenas de milhares de habitantes de suas casas na Judeia e Samaria. Num censo do jornal Ha’aretz (24.7.13) respondendo a pergunta, se num referndum apresentado pelo Primeiro Ministro de fazer acordo com os palestinos como voce votaria, 39% responderiam que sim, 16% acham que sim, 20% votariam contra enquanto 5% acham que seriam contrarios e 20% nao sabem.

Netanyahu quer realizar o plebescito e disse (21.7.13) que ” nao da para fazer um acordo destes sem a aprovaçao do povo”, por outro lado o vice lider do seu proprio partido, o falcao politico Avigdor Liberman disse que ” plebescito eh fuga dos que quem decidem de suas responsabilidades”, reafirmado em outras palavras pela Ministra da Justiça e principal negociadora com os palestinos, Tsipi Livne.

Kerry parabenizou a corajosa liderança de Netanyahu e Abbas depois repetido pelo Presidente Obama. Mas o verdadeiro batalhador foi o incansavel e determinado Sec. de Estado, o proprio Kerry, mesmo com o apagado e cetico presidente Obama. Durante estes proximos 9 meses os israelenses e palestinos assistidos pelos americanos discutirao ponto por ponto as suas diferenças e segundo os yankees “alcançarao um acordo definitivo (definitivo) que depois de obtido sera declarado o final do conflito e da demandas dos dois lados”.

Eh dificil de acreditar que desta vez um acordo final que ponha fim ao conflito sera obtido. A desconfiança dos dois lados um d’outro eh muito grande. O Presidente Abbas eh velho e fraco(tambem politicamente), nem de longe tem o credito que tinha Arafat, que como dizia o ex chanceler israelense Abba Eban ” os palestinos nunca perdem oportunidade de perder oportunidade”,como foi no caso do Arafat com Barak em 2000 ou do Abbas com Olmert em 2008, que lhes deram generosas ofertas.

Abbas governa a parte da Judeia e Samaria conquistados da Jordania em 1967 e rival de Ismail Hania do Hamas que governa a Faixa de Gaza conquistada do Egito em 1967. O Hamas com o Jihad Islamico protestaram que ” Abu Mazen (Abbas) nao tem nenhuma autoridade de discutir assuntos vitais em nome dos palestinos…este ato de negociaçao eh uma traiçao”. Mesmo no partido do Abbas, o Fatah, muitos se manifestaram contra o reinicio de dialogo com Israel. E para mostrar sua oposiçao ja na terça feira(30.7.13) missel Qassam foi lançado de Gaza sobre territorio israelense, sem causar danos. Eh o quarto missel lançado em 2 semanas sempre contra civis e sem nenhuma retaliaçao israelense.

Enquanto o restabelecimento de negociaçoes em Washington, Abbas foi ao Egito na certa para envolver o novo governo ao seu lado, pois como disse (31.7.13) o ex comandante do Serviço de Inteligencia do IDF, General Amos Yadlin “os palestinos nao negociarao com Israel sem o opoio dos arabes”. Ao mesmo tempo Abbas reiterou desde o Egito que “nenhum israelense podera permanecer no futuro estado palestino, nem o IDF”.

Os americanos exigiram que nenhum lado relate o que se passa nas negociaçoes, somente os americanos controlarao a difusao das noticias. Mas ja foi noticiado(30.7.13) de que foi o proprio Kerry relatando a alguns congressistas disse que ” 85% do territorio dos grandes assentamentos permancerao sob a soberania de Israel”. Isto deve significar de que como ja lhes foi proposto, os palestinos receberao cerca de 97% do territorio que reinvindicam e os 3% restantes, serao feitos em troca de territorios. Tudo isto antes mesmo de entrar em detalhes chaves alem do territorial como o de estado final de Jerusalem, dos refugiados palestinos e assuntos de segurança. O deputado arabe israelense, Ahmad Tibi que eh muito proximo de Abbas (como o foi anteriormente com Arafat) gosta de dizer” o maximo que o premier Netanyahu pode dar, nao eh nem o minimo que Abu Mazen pode aceitar” e poderia se dizer o vice versa.

Uma coisa eh certa, o tempo esta passando e talvez esta seja a ultima oportunidade demanter o espirito sionista de criar um Estado Judeu. Se nao acontecer a criaçao de Estado Palestino ao lado de Israel, dois Estados para os dois povos, a maioria de judeus do Estado de Israel de cerca de 80% desaparecera com a anexaçao de territorio com 2.5 milhoes de palestinos, sem levar em conta os 1.5 milhao da Faixa de Gaza. Na luta demografica os arabes vencem, pois pro criam mais do que os judeus e o Ocidente.

Eh muito dificil e dolorido retroceder e desmantelar assentamentos com dezenas de milhares de habitantes que vivem nos territorios ocupados. Contudo, eh quase certo que Israel que ja apresentou este plano algumas vezes, da entrega de 97% do territorio antes chamado de Cisjordania aos palestinos, mantera a maior parte dos assentados que vivem em Ma’ale Edomim, Ariel, Gush Emunim e outros centros e por uma paz este sofrimento para o bem do resto do pais eh valido.

A possibilidade de que desta vez uma paz real seja alcançada eh como sempre funçao de timing (o tempo certo). Os arabes estao enfraquecidos, lutando internamente como na Siria, Egito, Libia, Tunisia e entre si como no caso da Siria com outros paises arabes e ataques ao Hizballah. A Liga Arabe tambem esta enfraquecida e na realidade o problema palestino ja nao esta no centro das atençoes dos arabes. Nao se sabe porque os europeus e EUA se envolvem tanto no assunto quando ha problemas bem maiores no mundo para serem resolvidos. Sera que eles nao acham que os maiores interessados em viver em paz para a prosperidade da regiao sao os israelenses e palestinos.

BARCELONA EM ISRAEL

A vinda do time de futebol Barcelona a Israel pode ilustrar como eh dificil a paz entre os palestinos e israelenses. A iniciativa de trazer o time de Messi e Neymar para a Terra Santa partiu do presidente Peres e incluiria uma partida entre o clube espanhol contra time formado por jogadores israelenses e palestinos.A resposta imediata dos palestinos foi de nao querer nada conjunto com Israel. Ai veio a reconciliaçao de que no sabado visitarao Beth Lehem e estarao na Autoridade Palestina e no domingo(4.8.13) visitarao Israel e a noite farao um jogo treino para 13.000 estudantes escolhidos por suas escolas. Neymar com seus colegas de time e familiares curtirao a visita em Israel e nos so os acompanharemos atraves da televisao. Pena.

JOGADORES EGIPCIOS BOICOTAM ISRAEL

Nas oitavas de final do campeonato europeu de futebol joga Mccabi Tel Aviv contra a equipe suiça de Basel que tem 2 jogadores egipcios nas suas fileiras, Mohammed Salah e Mohammed el Nani. O primeiro encontro foi na Basileia no qual Maccabi foi derrotado por 1X0. O segundo, na proxima semana sera em Tel Aviv e os dois jogadores ja antecipadamente declararam que nao jogarao em Israel, alegando pressoes do Egito e de comunidades arabes. O interessante eh que os suiços nao entendem esta atitude, para eles politica eh um palavrao.

ERIC BARDEN BOICOTA, NAO BOICOTA

O solista da banda The Animals ha muito havia confirmado presença numa apresentaçao com a velha banda israelense Tisslam em Binyamina. As vesperas da apresentaçao alegando muitas ameaças ate de morte ele voltou atras informando que nao viria a Israel. Tres dias da apresentaçao o famoso roquista ingles voltou atras dizendo que politica e outros fatores alheios a musica nao o amedrantarao para a alegria do grande publico israelense.Ontem foi a apresentaçao.

TELEFONICA DO BRASIL ESCOLHE A ISRAELENSE CERAGON

Numa corrida contra o tempo para ampliar a rede de telecomunicaçao mais avançada, antes do Campeonato Mundial de Futebol em 2014, a Telefonica do Brasil entregou mais um projeto de melhoria dos seus serviços a companhia israelense Ceragon, no valor de 6 milhoes de dolares. A soluçao de Ceragon cujas açoes sao negociados nas bolsas de Tel Aviv e de N. York, eh de quadruplicar a capacidade da rede e melhorara as comunicaçoes da Telefonica.

O TECHNION RESOLVE O PROBLEMA DA SECA

Pesquisadores do Technion em Haifa encabeçados pelo Prof. Shimon Gebstein conseguiram numa soluçao genetica dar mais tempo de vida as frutas e verduras colhidos do campo. Com sua tecnologia conseguiram aumentar a vida da planta do tabaco de 4 meses para 8 meses. Ao mesmo tempo, casualmente observaram que plantas com engenharia genetica que nao receberam durante 4 semanas repentinamente voltaram a crescer com a volta da agua, plantas sem esta tecnologia industrlizada morreram neste tempo. Num mundo que cada vez necessita abastecer mais a crecsente populaçao com escassez de agua a tecnologia do Technion podera dar uma soluçao.

JOVENS ISRAELENSES SE DESTACAM EM OLIMPIADAS DE CIENCIAS

A delegaçao israelense a Olimpiada de Matematica realizada na Colombia obteve 1 medalha de ouro, 3 de prata e uma de bronze. Das 103 naçoes participantes, a israelense alcançou o 13º lugar, um avanço de 18 lugares comparado a 31º posiçao obtida em 2011 e 53ª colocaçao em 2010. O ouro foi de Omri Solan de 17 anos do Ginasio Rishonim(Primeiros) de Hertzelia. Na Olimpiada de Fisica na Dinamarca, jovens israelenses obtiveram 5 medalhas, na de Quimica 4 medalhas e na de Computaçao outras 4 medalhas e oitavo lugar entre 80 paises.

CONCENTARAÇAO DE TALENTOS MUSICAIS ISRAELENSES EH EXPECIONAL

Foi o que disse numa entrevista o israelenses Guy Braunstein primeiro violinista da Orquestra Filarmonica de Berlin, que esta passando a dedicar um tempo(25%) para reger orquestras e 75% continuar tocando como solista. Segundo ele ” nao ha nenhuma correlaçao dos talentos que saem do pequeno Estado de Israel para o enorme numero de artistas que atuam,em todas as areas da musica classica no mundo.Se um extraterrestre ler quem sao os executores em todas as instituiçoes mais importantes do mundo, acreditara que somos uma potencia. So para citar alguns, Isaac Perelman, Daniel Bernboim, Zubin Mahta,hindu radicado em Israel.

Print Friendly, PDF & Email