COMPARTILHAR

As manchetes dos jornais e TVs israelenses destacaram a visita ao país do Presidente de Chad, Idriss Deby, país muçulmano que não mantêm relações diplomáticas com Israel. Esta visita ofuscou um pouco outra visita, acho ainda mais importante, do Presidente da República checa, Milos Zeman, um verdadeiro amigo de Israel.

Todo país quer ter amigos e ótimas relações diplomáticas com o maior número de países, mas que sejam relações amigáveis e que sirvam os 2 países interessados. No caso de Israel vemos que muitos países mantêm relações e alguns que nem mantêm relações diplomáticas, mas usufruem de ajuda ou tecnologias israelenses e na hora de demonstrar a amizade, em fóruns internacionais, votam contra o Estado Judeu.

Chad tinha relações diplomáticas com Israel até 1972. Por pressão do líder do país vizinho Moamar Kadafi da Líbia e a tomada do poder por muçulmano (da minoria cristã do país, 40%) Chad rompeu as relações e perdeu. A partir da década dos anos 60’ do século passado, países africanos que se libertaram do colonialismo, tinham boas relações e ajuda de Israel, como o próprio Chad. Quando deram costas a Israel perderam em vários campos, principalmente nas áreas da saúde, agricultura, etc…

Agora, o presidente Déby que é acusado de ser ditatorial e até de estar envolvido na chacina do Sudão, vêm a Israel, antes mesmo de restabelecer as relações diplomáticas. Netanyahu recrutou até a desculpa de que estas relações ajudarão a encurtar as viagens de Israel à America Latina, com rotas no espaço aéreo da Africa. É claro que esta visita tem a ver também com aumento das relações comerciais, em áreas como a agricultura, energia solar, água potável, saúde, luta antiterrorismo e defesa das fronteiras. Vamos ver se em consequência, a votação de Chad mudará nos foruns internacionais.

O Presidente da República Checa, Milos Zeman, voltou a Israel depois de 5 anos e declara que quer transferir a Embaixada do seu país para Jerusalém. Ato que o 1º Ministro checo tem que aprovar e que a União Europeia, ainda é contrária. Este presidente é bem conhecido pela seu apoio ao Estado de Israel e sua simpatia aos judeus. Para salientar sua amizade, na Convenção de AIPAC, em Washington, discursou e terminou, em hebraico dizendo: ”ani yehudi” (sou judeu, e não é) em alusão a famosa frase do Presidente Kennedy, em Berlim, “sou berlinense”.Num ato inédito, Milos Zeman cedeu a Cidadela, em Praga, onde se localiza seu Palácio Presidencial para a festa do 70º aniversário da Independência do Estado de Israel.

O presidente checo é economista e antes de ser eleito Presidente do país, exerceu as funções de Presidente do Parlamento e de Primeiro Ministro. Ele é critico da União Europeia e acha que ela não deve ser política, mas sim economica e social. É contrário a imigração islamica para a Europa, dizendo:” há grande discrepância entre o nivel de vida na Africa e o da Europa.A cultura islamica não é aceita pelos europeus. Deixem o islão viver nos seus países e não na Europa.”

Zeman é muito critico com respeito aos palestinos. “Hamas?, dá para negociar com terroristas? é necessário combatê-los e não falar com eles. Adiciona que “a Autoridade Palestina não promove eleições livres, apesar do termo de presidência de Abbas ter expirado há muito tempo.

Quando perguntado da separação entre a República Checa e a Eslováquia, Zeman diz:”há grande diferença. A Eslováquia é nação muito desenvolvida culturalmente, com longa e rica história. Não tenho certeza que os palestinos tem historia dessas ou nível economico e cultural como o dos eslovacos”.

Além dos encontros que manteve com o Presidente Rivlin, Premier Netanyahu e outros dignatários, o presidente checo inaugurou em Yerushalaim a “Casa Checa”, que é o 2º passo, depois da nomeação de Consul Honorário e antes do 3º, que é a transferência da Embaixada para Jerusalém. Como muitos outros países que apreciam os avanços da industria de Israel e particularmente a militar, ele encabeça grande delegação de homens de negócios. Zeman:” Israel se destaca em material bélico, os sistemas de radar israelenses são ótimos. Mesmo sendo membros da OTAN, outros países da organização também compram produtos israelenses. Eu até propus integrar Israel a OTAN”. Amigão.

DIFICULDADES EM MANTER O GOVERNO

Já na primeira semana desta frágil coalizão de 61 deputados, o governo de Netanyahu sente a dificuldade de governar. Propostas de lei elaboradas pelo governo, como a Lei da Lealdade na Cultura, simbolo da Ministra Miri Regev, que é um tipo de censura cultural, foi adiada, por temer uma derrota e ser rejeitada no Knesset. O mesmo ocorreu com a Lei “Gideon Saar” proposta por Netanyahu. Esta tem por proposta limitar o poder do Presidente do Estado e restirngi-lo a nomear para 1º Ministro, o líder do maior partido e não aquele que pode eventualmente constituir maior coalizão.

O novo Ministro da Defesa, Netanyahu, ciente da batata quente que representa a Lei do Alistamento, ou melhor dito a lei de isenção de alistamento dos ultra ortodoxos, pede a Suprema Corte adiar em 4 meses a votação ,que a S.C. já adiou até domingo. A desculpa é que ele tem que estudar o assunto. No seu outro chapéu, o do Primeiro ministro, ele não estudou a assunto. Os ultraortodoxos ameaçam votar contra e então o governo cai. O Netanyahu faz forças de permanecer até janeiro e então se o govêrno perder votação, a convocação de novas eleições será em abril, para ele a preferência é em maio, após as festividades de Yom Há’Atzmaut e a Eurovisão.

Esta semana o governo ia sofrer derrota na votação de aumento de auxilio aos necessitados e só por causa de 1 deputado rebelde do P. Trabalhista e outro que estava voltando da China a emenda caiu.

Enquanto isto, o 1º Ministro que sobre suas acusações disse “não há nada, porque nada aconteceu” está engrossando as fileiras da sua defesa com advogados da primeira linha. O Procurador Geral do Governo, Amichai Mandelblit, que foi Secretário do governo, de Netanyahu e nomeado por este, constituiu novo time para as investigações, para ganhar mais tempo e adiar a decisão final.

LÍDER PALESTINO XINGA TRUMP E NETANYAHU

Um dos pretendentes ao trono de Mohamad Abbas -quando deixar o posto- é o membro da liderança da Fatah, Jibril Raloub, atual presidente da Federação Palestina de Futebol. Quando era encarregado as segurança interna palestina mantinha boas relações com as forças de segurança de Israel, que os treinou junto com a CIA. Na época chamavam- no pela alcunha de Avi Regev.

Desde então muita água jorrou pelo Rio Jordão e a cada ano parece que êle foi se radicalizando. Um dos seus irmãos é dos lideres da Hamas na Cisjordânia. Com o seu radicalismo, ele foi sendo mais e mais grosso. Chegou a pedir a expulsão da seleção de Israel da FIFA, e ameaçou a Seleção Argentina de Futebol e o Messi de não jogar em Jerusalém. O comitê jurídico da FIFA suspendeu- o das ativadades da organização por 1 ano.

Esta semana, Jibril acusou o Netanyahu de falar em um acerto para a situação humanitária na Faixa de Gaza, mas que” é o próprio Netanyahu, filho de uma cadela, é o responsável por essa situação”. Continuando na sua vulgaridade, mandou os pais do Netanyahu e do Trump, “esses cachorros, para o inferno”. O dinheiro que o Qatar transferiu a Hamas em Gaza “é dinheiro venenoso, que serve para aumentar o fogo da hostilidade entre a Fatah e a Hamas”.

Jibril Rajoub sabe muito bem quem é o responsável pela crise humanitária em Gaza e que foi deteriorando-se a partir da paralização da transferência de verbas e pagamentos que a Autoridade Palestina transferia à Faixa de Gaza. Isto ocorreu pela rivalidade e seu desejo de reconquistar o controle desta área.As duas facções palestinas não conseguem se entender. Mesmo quando um jornal libanês noticiou esta semana, que essas 2 facções chegaram a um acordo, logo em seguida a Hamas desmentiu. Foi, segundo ela, “fake news”. Hamas não abre mão de ser a encarregada das forças de segurança de Gaza e Fatah quer controle total, civil, politico e forças armadas.

CURTAS:

PARTILHA DA PALESTINA, foi votada no dia 29 de novembro de 1947, na Assembleia Geral da ONU, presidida na época pelo chanceler brasileiro Osvaldo Aranha. A Partilha decidiu criar 2 países, Israel, o Lar Nacional Judeu e um outro árabe. Ontem no recinto da Assembleia Geral da ONU, ocorreu a cerimonia de lembrança desta votação (ao lado o Palestine Post, que depois passou a ser o Jerusalem Post, anuncia a criação do Estado de Israel). O Embaixador de Israel, Dany Danon discursou e disse:”desde a votação na ONU, os palestinos ainda estão no mesmo lugar. Gastaram décadas em difundir ódio, financiar e executar atos terroristas e preferiram ficar no passado. Mudem a marcha. Israel soube trasnformar o nada(deserto e pântanos-DSM) em algo milagroso, um Estado livre que permite desenvolver grandes idéias que movem o mundo”. Dirigindo-se aos palestinos, Danon disse:” reconheçam o Estado de Israel, o Estado do povo judeu, párem de financiar os terroristas e a educação do ódio. Escolham liderança comprometida ao povo palestino e seu bem estar. Só então poderemos desenvolver novo futuro a região”.

TRUMP ESCORREGA EM FALAR DE ISRAEL. Trump é um dos presidentes americanos mais amigáveis de Israel, mas mesmo assim ele teve nestes dias 2 infelizes citações que podem prejudicar Israel. Ciente do apoio do povo americano a Israel, ele se apegou a isto para justificar a presença de tropas americanas no exterior. Depois que foi revelado- mesmo pela CIA- de que o mandante do assassinato do jornalista saudita, Jamal Kashoggi é o príncipe herdeiro Mohammad Bin Salman (MBS), Trump tentou justificar de nada fazer contra ele, alegando:” o Oriente Médio é uma região perigosa e durona no mundo. Os sauditas são nossos fantásticos aliados, sem a Arabia Saudita, Israel teria problemas maiores”. Na última 3ª-feira(27) o Wall Street Journal publicou mais uma asneira do Trump, que teria dito em entrevista ao jornal:”Israel é uma das causas da presença de forças americanas na Europa”. Ao conhecimento do Presidente, Donald J. Trump, Israel existe por seus próprios méritos. Nunca pediu presença de soldados americanos, ou outros, para defendê-lo. Nem mesmo na Guerra do Yom Kipur, que foi trágica, pedimos a reposição de material bélico, que o governo americano demorou em repor para pressionar Israel. Esta é uma das razões que a indústria bélica de Israel é tão desenvolvida. Sim precisamos da ajuda militar americana, mas em material e não com soldados, então não justifique a presença de suas tropas no exterior, por causa de Israel.

NOVO COMANDANTE DE TSAHAL, aprovado pelo governo é o General Aviv Kochavi. Ele é o 22º neste dificil e responsável cargo, desde a fundação do Estado de Israel. O atual comandante, General Gadi Eizenkot disse:” tenho certeza que Kochavi levará o Exército de Defesa de Israel a novas conquistas e saberá enfrentar com firmeza os atuais desafios e os do futuro”. Sua nomeação foi feita pelo Lieberman. Aviv Kochavi nasceu em 1964, em Kiriat Bialik, é casado e tem 3 filhos. Tem 4 títulos acadêmicos e no exército consideram no muito inteligente, de boas analises, o “filosofo”. É carismático e tem retórica muito boa. Gosta muito de música, pinta quadros e é vegetariano. Ingressou no exército em 1982, voluntariando-se a Divisão de paraquedistas (todos voluntarios), comandou os combates na Operação Escudo Defensivo. Em 2003 foi o comandante da Divisão de Gaza e 4 anos mais tarde, foi comandar a Brigada de Operações. Em 2010 foi nomeado para chefiar o Serviço de Inteligência.Sua trajetória levou-o 4 anos depois comandar as Tropas do Comando Norte do país e depois de 3 anos a ser o Vice Comandante do Estado Maior.

O DIRETOR DE CINEMA, QUENTIN TARANTINO CASA-SE COM A ISRAELENSE Daniella Pick. Foi anteontem(28) em Los Angeles na presença de familiares e amigos. O pai da Daniella é o famoso cantor israelense, Tsvika Pick, que teve que se ausentar, pois há alguns meses sofreu problemas de saúde e está se convalescendo. Tarantino esteve em Israel algumas vêzes e até comprou um apartamento milionário em Tel Aviv. Sua lua de mel será em Israel. Talvez até pense em fazer filme no país que fale da região. Scipts para tal não faltam, desde comédias, dramas, mistérios e tragédias. Mazal tov.

ISRAELENSE VENCE A MARATONA DE FLORENÇA. É a corredora israelense, Luna Chamri-Salpeter, de origem keniana. É a primeira maratona que correu e a percorreu em 2:24:17 hs, novo recorde israelense. Ela detêm os recordes do país em 1.500, 3.000, 5.000 e 10.000mts. Ela veio ao país para servir de babá aos filhos do Embaixador da Quenia. Para seu prazer corria e foi vista pelo treinador israelense, Dan Salpeter. Casaram, tem uma filha e êle continua treina-la com o objetivo de conseguir medalha olímpica no Japão.

DIA DA EXPULSÃO DOS JUDEUS DE PAISES ÁRABES E DO IRÃ. -30 DE NOVEMBRO. Já tratamos da discriminação que os refugiados palestinos tem comparado com refugiados do mundo todo (vide vídeo abaixo) e principalmente com os refugiados judeus que tiveram que sair dos países árabes e do Irã, na mesma época. Em nenhum momento os árabes levantaram a hipotese de discutir o sofrimento ds refugiados judeus que viveram com êles durante séculos e com a criação do Estado de Israel, foram obrigados, sofrendo represálias, a fugir dos seus países. Dos cerca de 1 milhão que viveram em países árabes e no Irã, atualmente restaram apenas 4.000 judeus, a maioria em Marrocos. Israel marca o dia 30 de novembro como o Dia da Expulsão dos Judeus dos países árabes e Irã. As propriedades dos refugiados judeus são avaliados por entendidos em cerca de 400 bilhões de dolares. Quando a Arabia Saudita lançou, em março de 2002 a Iniciativa de Paz Árabe determinou:” achar solução justa aos refugiados, aceita pelos 2 lados”. Sou falou nos refugiados árabes e nada dos judeus. Justiça tem que ser feita para os 2 lados, mesmo que Israel tratou logo de integrar os judeus que vieram do mundo islamico (e de qualquer outro país) a sociedade israelense. Hoje em dia em qualquer ocupação e posto você encontrará judeus “orientais”. Estão totalmente integrados a vida israelense ao contrário dos palestinos, que estão confinados em campos de refugiados, considerados pessoas de 2ª categoria, sem cidadania e proibidos de exercer certas funções.

CRITICAS AO MINISTRO DO TURISMO DA TUNISIA. O homem de negócios judeu tunisiano, Renee Tribilisi, nascido na Ilha de Jerba, Tunisia, foi nomeado ministro do Turismo da Tunisia e só pelo fato de ser judeu, há parlamentares que querem derrubar o govêrno. Êle é “acusado” de apoiar Israel e visitá-lo. Tibilise tem rede de agências de turismo e é a 1ª nomeação ao cargo de Ministro desde a década de 50’ do século passado. Seus críticos alegam que êle trás judeus de Israel para visitar a Tunisia.
PAISES MAIS PERIGOSOS DO MUNDO. O Instituto de Economia e Paz (IEP) publica anualmente um indíce da paz global.Os indicadores saõ baseados em guerras, relações internacionais, homicidios, terrorismo, instabilidade política, etc..Êstes são os 10 países mais perigosos em ordem decrescente: Síria – guerra civil desde 2011. Mais de 500 mil mortos, 11 milhões de refugiados. Afeganistão – desde 2001 presença americana que não contêm a prolongada guerra. Sudão do Sul. País recém criado em 2011 e desde então guerra civil.Também malaria, HIV, ETC. Iraque. O Estado Islamico é seu maior problema. Está dividido em regiões do EI, Curdos e Iraquis. Somália. Guerra civil desde 1991, dos mais longos do mundo que trouxe enorme pobreza. Sudão. Violências étnicas e religiosas. Duas guerras civis, que criaram o Sudão do Sul. República Central Africana. Luta entre forças do govêrno e extremistas religiosos. Rep.Democrática do Congo. Em guerra constante desde 1997, mais de 5.5 milhões de mortos, a maioria crianças, também pela más condições higienicas e enfermidades. Paquistão. Guerra com a India e interna. Correia do Norte. Ditadura ferroz, pior condiçaõ de direitos humanos do mundo.

Assista ao video abaixo. Jordaniano palestino Mudar Zahran no Parlamento Europeu.

HAG CHANUKÁ SAMEACH ALEGRE E FELIZ FESTA DE CHANUKÁ

Print Friendly, PDF & Email