Cemitério Judaico da Vila Mariana completa 95 anos

Cemitério Judaico da Vila Mariana completa 95 anos

497
0
COMPARTILHAR

via Chevra Kadisha – O Cemitério Israelita de Vila Mariana completa 95 anos em 2014. Fundado três anos antes da Chevra, na zona sul da cidade, abriga cerca de 5.700 sepulturas e se caracteriza pelo padrão diferenciado das mesmas, já que data de uma época em que eram permitidos adornos sobre as lápides e até fotos dos sepultados.

vila-marianaSem campas disponíveis, o campo santo transformou-se em importante espaço de memória da formação da comunidade judaica na capital. “Em Vila Mariana, estão os primeiros judeus que vieram para São Paulo e levantaram os alicerces da nossa comunidade”, afirma Guilherme Faiguenboim, secretário da mesa do Conselho Deliberativo e um dos autores do livro ‘Os primeiros judeus de São Paulo: breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana’ (ed. Fraiha, 2009).

Sua instalação se deu a partir de uma lei municipal de 1919, que autorizou a criação de um cemitério de orientação religiosa, ainda que a Constituição Federal, de ideal republicano e de defesa do caráter laico do Estado, proibisse a existência de cemitérios particulares, o que incluía os religiosos. O empresário Maurício F. Klabin doou o terreno de 5 mil m², onde, em 1920,
foi realizado o primeiro sepultamento.

MEMORIAL – A antiga Casa de Tahara foi transformada em um Memorial, no início de 2012, reavivando fatos e personagens históricos. Em seu interior, ilustrativos painéis narram a saga da imigração judaica, destacam aspectos da arte tumular e dos rituais religiosos e revelam as personalidades ali sepultadas, entre elas a escultora Felícia Leirner, o pintor Lasar Segall e o arquiteto modernista Gregori Warchavchik.

Por todo o apelo histórico reunido em suas alamedas e no Memorial, o campo santo é uma interessante fonte de pesquisa para escolas e estudantes. Situado na Avenida Lacerda Franco, 2.080, o local fica aberto diariamente, exceto aos sábados, de segunda a quinta, das 7h às 16h; às sextas, das 7h às 15h; domingos, das 8h às 13h; e nos feriados, das 8h às 12h.