Ivone Zeger

Ivone Zeger

Os meus, os seus, os nossos e o Imposto de Renda

Pai ou padrasto; mãe ou avó: quem deduz o quê?

Ninguém escapa do registro

Nasceu? Morreu? Separou? Sumiu? Voltou? Tudo deve ser atestado em cartório.

Tabelião, você ainda precisará de um

Nos cartórios e tabelionatos, “palavra de honra” ainda existe.

Filhos e mochilas: quem ganha com o vai e vem?

Pai e mãe devem reconhecer suas diferenças e manter o respeito mútuo.

Quem fica com as crianças?

Decisões tomadas, malas feitas, divórcio assinado, resta o mais complicado: manter a cabeça fria e decidir como gerir a vida dos filhos.

Procuração: na vida, na novela e no cinema

Até onde você pode confiar nas pessoas? Legisladores, psicanalistas, escritores e teledramaturgos exploram esse tema à vontade. Na dúvida, prefira a lei.

Igualdade do quê mesmo?

Difícil falar em direitos conquistados quando uma simples escolha não pode ser feita com total liberdade.

Quem não pode fazer, arrume quem faça!

Comprar, vender, casar, registrar filho: quase tudo um procurador pode fazer, contanto que seja alguém de confiança.

Quem dá afeto precisa de remuneração?

Pelo sim, pelo não, é difícil achar quem cuide do interesse dos outros sem receber nada em troca.

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR EM CURATELA?

Parece nome de bicho ou palavrão, xingamento ou provocação. Mas é lei e tem utilização!

A INTERDIÇÃO É EFICIENTE CONTRA OS OPORTUNISTAS DE PLANTÃO

Quando falta o discernimento, a família e a lei devem intervir para garantir a proteção do mais frágil.

A “OUTRA” TEM DIREITO?

Amante tem direito à herança? À pensão? À divisão de bens? E a esposa, como fica?

SIGA O PLETZ NAS REDES SOCIAIS

8,548FãsCurtir
1,332SeguidoresSeguir
3,520SeguidoresSeguir
5,459SeguidoresSeguir