COMPARTILHAR

Em 18 e 25 de agosto, a Casa Guilherme de Almeida exibe filmes israelenses seguidos de debate e degustação da gastronomia de Israel

O Consulado Geral de Israel em São Paulo promove, em parceria com a Casa Guilherme de Almeida, a exibição comentada de dois filmes israelenses produzidos nos anos 2000 que resgatam a estética dos filmes Bureka – como eram conhecidos os melodramas e as comédias israelenses de grande sucesso de bilheteria. Os filmes serão exibidos em 18 e 25 de agosto, às 15h, de forma gratuita, com comentários dos professores e especialistas em cultura judaica Nancy Rozenchan e Moacir Amâncio.

Esses melodramas cômicos, que podem ser comparados às chanchadas brasileiras ou ao cinema “pastelão”, também têm em comum uma referência gastronômica com a cultura israelense: a famosa bureka, um salgado bastante popular feito de massa folhada com variados recheios, consumido nos cafés e lanchonetes em Israel.

No dia 18 de agosto, será exibido o filme “A Banda”, de Eran Kolirin, e, no dia 25 de agosto, o filme “Aviva, Meu Amor”, ambos seguidos por debate e degustação de burekas. A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

Sobre os filmes

“A Banda”, de Eran Kolirin (2007, 83 min) – Uma pequena banda da polícia egípcia chega a Israel. Eles vieram para tocar na cerimônia de inauguração de um centro cultural árabe. Porém, por causa da burocracia, falta de sorte e outros imprevistos, são esquecidos no aeroporto. A banda tenta se deslocar por conta própria, mas vai parar em uma pequena e quase esquecida cidade israelense, em algum lugar no coração do deserto.

“Aviva, Meu Amor”, de Shemi Zarhin (2006, 107 min) – O grande sonho de Aviva, uma chef de cozinha de um hotel que tem uma vida pessoal bastante complicada, é se tornar uma escritora conhecida. Através de sua irmã, Anita, ela conhece Oded, um famoso escritor que a ajuda a reescrever seus contos em busca de chances de publicá-los. No entanto, as estratégias de seu tutor começam a fazê-la questionar cada vez mais seus próprios sonhos.

Sobre os especialistas

Moacir Amâncio é graduado em Comunicação Social pela Faculdade Cásper Líbero (1975) e doutor em Língua Hebraica, Literatura e Cultura Judaica pela Universidade de São Paulo, onde, atualmente, é professor titular. É autor de livros como Dois Palhaços e Uma Alcachofra, estudo sobre o romance Adam Filho de Cão, de Yoram Kaniuk; e Yona e o andrógino, notas sobre poesia e Cabala.

Nancy Rozenchan possui graduação em Línguas Orientais Hebraico pela Universidade de São Paulo, mestrado e doutorado em Letras (Teoria Literária e Literatura Comparada) pela mesma instituição. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Línguas Estrangeiras Modernas, atuando principalmente nos seguintes temas de literatura hebraica e literatura israelense.

Serviço
Mostra de Cinema Israelense

De 18 e 25 de agosto, 15h
Casa Guilherme de Almeida – Sala Cinematographos
Rua Cardoso de Almeida, 1943
Gratuito

Print Friendly, PDF & Email