COMPARTILHAR

A recente feira LAAD no Riocentro, em abril de 2019, deixou antever alguns dos mais recentes avanços da tecnologia mundial de defesa. No que tange a Brasil e Israel, dois importantes polos dessa industria, ao visitante atento logo se apresentavam detalhes que ajudavam a avaliar o potencial das duas nações amigas no setor.

Israel, pais cercado de inimigos, desde a sua independencia sempre buscou o domínio da alta tecnologia de armamentos, sendo um dos grandes fornecedores mundiais.

Com as recentes visitas de Bolsonaro e Netanyahu, espera-se que a cooperação técnica seja incrementada, o que naturalmente inclui o setor de defesa, onde o relacionamento internacional do Brasil com Israel já se fazia presente de longa data, embora cercado de confidencialidade.

Diversos segmentos podem ser objeto de intercambio e parcerias, como a área médica, onde Israel tem extensiva experiencia em hospitais de campanha, logistica medico-farmaceutica e evacuação aero-médica, setores importantes onde o Brasil tambem vem trabalhando para fazer frente a diversos eventos ocorridos nos ultimos anos, como as fortes chuvas em Teresopolis, as barragens de Mariana e Brumadinho e outros episodios onde foram empregados os Hcamp e Batalhões de Saude.

No que concerne a pequisa e desenvolvimento, são inumeros os exemplos de start-ups, tanto no Brasil como em Israel, que se dedicam a inovação e projetos de tecnologia de defesa.

Pais de extensas fronteiras, o Brasil desenvolveu o SISFRON, enquanto Israel tem fronteiras muto sensiveis, o que determinou a construção de uma barreira fisica equipada com sofisticados controles dotados de equipamentos C2 e sensoriamento remoto para vigilancia e controle.

No que diz respeito a operações navais, os dois paises podem trocar experiencias em areas comuns, como unidades especiais de mergulhadores de combate, submarinos convencionais, sistemas de comando e controle.

Nos ultimos anos, a tecnologia de constelações micro-satelitais tem se revelado uma ferramenta não só militar mas tambem dual, de grande interesse para paises extensos territorialmente como o Brasil.

As aeronaves remotamente pilotadas tem apresentado extraordinaria evolução tecnologica, merecendo assim um olhar especial sobre a sua utilização. Os VANTs tem sido muito utilizados no Brasil, devendo as novas gerações de aeronaves armadas serem cda vez mais de grande utilidade em operações de GLO.

Na area da Engenharia Militar, há um vasto campo de intercambio, tanto na Engenharia de Combate, altamente desenvolvida em Israel, quanto na Engenharia de Construção, onde o Brasil tem se destacado na construção de estradas, pontes e ferrovias.

Uma das áreas que mais tem evoluido no Brasil e no Mundo é a de inteligencia, comunicações e defesa cibernetica. Novas unidades foram criadas, como o CcomGEx e ComDCiber, o que implica em necessidades de treinamento, estudos doutrinarios e intercambio.

No campo da Logistica e Mobilizção, os dois paises tem desenvolvido sistemas e ferramentas de gestao, de modo a garantir a interoperabilidade entre as forças, e tomada de decisão.

Para possibilitar as parcerias, será imprescindivel a disponibilização de linhas de credito e seguro, para financiamento das exportações, preferencialmente oferecidas pelas respectivas agencias de desenvolvimento .

Quanto as politicas de genero, ambos os paises vem integrando as mulheres nas atividades operacionais, o que se apresenta como um forum de utilidade para troca de experiencias.

Na GLO – Garantia da Lei e da Ordem, ambos os paises tem atuado ainda que em enfoques diferentes, mas com a mesma abordagem de proteger populações civis do crime organizado, no Brasil, e do terrorismo, em Israel. Sao ambientes diferentes, um de guerra, e outro de milicias e gangues operando em areas urbanas de alta densidade, mas que a final acabam exigindo a mesma estrategia. Ressalte-se que nesse articular, o Brasil se beneficia do aprendizado durante as missoes de paz.

Tambem na area de estudos estrategicos há uma importante vertente de intercambio, entre escolas como a ESG e a Escola Nacional de Defesa de Israel, com posivel oferta de vagas e realização de seminarios. Ambos os paises mantem cursos internacionais especificos para acolhimento de militares de nações amigas.

O salto tecnologico ora representado pela aquisição de novos sistemas de armas implica em utilização extensiva de simuladores de combate, sendo igualmente uma ferramente imprescindivel.

A logistica de manutenção é tambem um campo importante para troca de experiencias e doutrinas, acumuladas ao longo de operações bélicas e nas forças de paz pelos respectivos Comandos Logisticos.

No campo da artilharia anti-aerea, o Brasil pode se beneficiar bastante da experiencia de Israel, cujas plataformas tem sido utilizadas frequentemente.

Pais de imensos espaços, extensas fronteiras, abrigando em seu territorio as riquezas da Amazonia Verde, Amazonia Azul, Pré-Sal e tantas mais, as forças armadas nacionais precisam estar cada vez mais atualizadas e aprestadas para fazer face a novos desafios, em condições de se opor a quaisquer ameaças.

Fica pois evidente que numa era em que novos e as vezes surpreendentes cenarios se apresentam na arena geopolitica internacional, a cooperação tecnica se mostra cada vez mais necessaria.

Print Friendly, PDF & Email
COMPARTILHAR
Artigo anteriorO Clipping do dia
Próximo artigoUm vídeo de Pessach
Israel Blajberg
Há 10 séculos seus antepassados paternos saíram de Bleiberg, na Carinthia (Áustria), firmes como o chumbo (Blei) e imponentes como a montanha (Berg), entrando na Polônia sob o Grande Rei Kazimierz. Teve a honra de ser o primeiro Blajberg nascido no Brasil (Rio de Janeiro, 1945), estando hoje a família na terceira geração verde-e-amarela. Professor da UFRJ e UFF e Engenheiro do BNDES, aposentado em 2015. Palestrante e Autor de livros e artigos sobre Historia do Brasil, Militar, Judaica, Genealogia e Viagens. Membro das Ordens do Mérito da Defesa, Naval, Militar e Aeronáutico, e Medalha Pro-Memoria da Republica da Polônia.