COMPARTILHAR

Startup lança um dispositivo que “escaneia” nadadores debaixo d’água, enviando alertas quando detecta situações de risco de vida

A startup israelense Coral Detection Systems revelou na Consumer Electronics Show em Las Vegas na semana passada um produto que diz ser capaz de detectar rapidamente afogamentos em piscinas e alertar os socorristas.

O produto, Coral Manta, que a empresa chama de “o primeiro de seu tipo”, é um dispositivo de formato hexagonal, alimentado por painéis solares cobrindo sua superfície. Quando posicionado à beira de uma piscina, o dispositivo monitora a piscina por meio de uma câmera de vídeo subaquática embutida que usa visão computacional e inteligência artificial para detectar movimento.

O dispositivo monitora a piscina 24 horas por dia e usa inteligência artificial para analisar vídeos em tempo real capturados pela câmera. Em caso de afogamento ou circunstâncias perigosas, o dispositivo emite um alarme para alertar as pessoas nas proximidades para ajudar a vítima e, simultaneamente, envia um alerta para os proprietários da piscina através de seus smartphones.

A resposta imediata é essencial, já que quatro a cinco minutos sem oxigênio podem causar danos cerebrais irreversíveis para crianças, e para adultos esse tempo diminui para três a quatro minutos, explica o site da empresa. Na maioria dos casos, quando as pessoas se afogam, afundam rapidamente, poucos segundos depois de terem parado de respirar. O Coral Manta está programado para identificar tais situações e dispara alarmes em poucos segundos, segundo o site.

Em caso de alarme falso, os usuários só precisam informar ao Coral Manta para ignorar o alerta por meio do aplicativo para smartphone ou tablet. Quando a luz do dia absorvida não é suficiente para carregar as baterias, o Coral Manta pode ser conectado por algumas horas para ser recarregado. Os próprios sensores e iluminação do dispositivo também podem ser usados durante a noite para ver e rastrear os nadadores que estão debaixo d’água.

A startup foi fundada em 2015 pelo CEO Eyal Golan e CTO Tamar Avraham e nomeada após Coral Sheri, uma menina de 11 anos que se afogou com sua amiga Or Koren na piscina privada de sua casa em Savyon, no centro de Israel, cinco anos atrás.

via Times of Israel e Israel Trade and Investment Brazil

Print Friendly, PDF & Email