COMPARTILHAR

Diabetes gestacional é o problema metabólico mais comum na grávidas. A intolerância aos carboidratos, geralmente diagnosticada entre as semanas 24 e 28, representa risco para a mãe e o bebê, porémm um novo algoritmo desenvolvido no Instituto Weizmann de Ciências permite prever a diabetes gestacional mesmo antes da gravidez e assim evitá- la apenas com mudanças no estilo de vida.

O Prof. Eran Segal da Ciência da Computação e Matemática Aplicada e o Departamento de Biologia Celular Molecular utilizaram o Machine Learning para comparar mais de 2 mil parâmetros em 450 mil gestações incluindo os resultados dos exames de sangue das mulheres e as histórias médicas de sua família.

O algoritmo revelou que nove dos parâmetros que incluíam a idade da mulher, índice de massa corporal, histórico familiar de diabetes e resultados de seus testes de glicose durante gestações anteriores (se houver) eram suficientes para identificar com precisão as mulheres que estavam com alto risco de desenvolver diabetes gestacional.

Validado em dados de outras 140 mil gestantes, os nove parâmetros ajudaram a identificar com precisão as mulheres que finalmente desenvolveram diabetes gestacional. As gravidas de alto risco poderiam reduzi-lo apenas adotando medidas no estilo de vida, tais como exercícios e dieta. Por outro lado, as mulheres identificadas como de baixo risco, poderiam ser poupadas do custo e da inconveniência do teste de glicose.

O estudo publicado na Revista Nature Medicine analisou dados da maior organização de saúde de Israel, a Clalit Health Services. Demonstrou a utilidade de big data dos registros eletrônicos de saúde, para previsões de doenças personalizadas que podem levar a medidas preventivas e terapêuticas.

Clique aqui para acessar o questionário de autoavaliação para diabetes gestacional. Para mais informações, clique aqui.

Print Friendly, PDF & Email