COMPARTILHAR

De fato, vivemos hoje, num novo país. Muito diferente daquele Brasil, pré Lava-jato, pré Sérgio Moro, pré impedimento da Dilma, pré eleições de 2018 e pré Renan Calheiros candidato a presidente do Senado Federal, no qual imperavam a depressão e muitos Bandidos da Luz Vermelha, na cidade e no campo.

Vivemos, após este último fim de semana, definitivamente, num país onde o politicamente correto e o cidadão que deseja levar vantagem em tudo, não estão sendo mais seguidos. Perderam poder e estão sendo ultrapassados.

Estamos vivendo num país em que a sociedade está tentando lavar de vez sua honra, como roupa suja, o que certamente, não será realizado da noite para o dia.

Quem esperaria viver no Brasil para acompanhar senadores do alto de sua empáfia, votando e mostrando o voto às televisões e consequentemente a toda a população? Confesso que eu, não! As ruas ditaram este comportamento com um grito tão alto que foi ouvido no plenário do Senado.

Está mais do que claro que independentemente da marcação cerrada que certos veículos de imprensa tais quais Globo e Folha de São Paulo fazem à família Bolsonaro, o novo presidente chegou trazendo o novo de verdade. Com um impressionante apoio do povo brasileiro.

Não ver mais nossa bandeira pintada de vermelho é algo que nos traz uma tremenda sensação de brasilidade. Sensação que há muito era varrida para debaixo do tapete em nosso país.

Mirar na presidência do Senado Federal e ver a presidência daquela casa livre de Renan Calheiros, um político matreiro que chegou ao poder como homem de confiança de Fernando Collor e não demorou para renegá-lo e que de lá dos idos de 1989, até ontem, não largou o osso do poder nem por 30 segundos, é absolutamente reconfortante.

Saber que Jair Messias Bolsonaro está recém-operado, livre de sequelas e se encaminhando para poder de fato e de direito, presidir o Brasil é gratificante.

Verdade! Brumadinho foi uma ducha gelada no nosso otimismo.

Não tenho dúvidas que estamos encontrando o caminho certo para o Brasil!
Não tenho dúvidas que as coisas todas do Brasil, seja nas áreas econômica, educacional, social, de segurança e de serviços à nação, entrarão nos eixos.

Teremos quer transpor muitos sacrifícios e estamos dispostos a fazê-lo pelo país.

Queremos para isso, ver todos os privilégios que a lei concede a certas categorias, jogados ao solo.

Para termos um país digno, é preciso acabar com foro e salários privilegiados. É preciso mostrar ao Brasil e ao exterior que os brasileiros possuem direitos e deveres iguais. É preciso fazermos desta máxima, um mantra cantado a todas as horas para que não nos esqueçamos.

Quanto as eleições do Senado Federal e da Câmara dos Deputados Federais, cumprimento os vitoriosos: Rodrigo Maia que conseguiu constituir um dos mais fortes arcos de deputados de todos os partidos a seu favor e Davi Alcolumbre que chegou de mansinho e gritou: saia de frente, Velha Política, aqui chegou um amapaense arretado para vencer o touro velho, cansado de guerra! E, venceu!

Parabéns ao Brasil! Vamos que vamos!

Print Friendly, PDF & Email