COMPARTILHAR

O enviado especial da ONU para o Oriente Médio diz que a UNRWA necessita de 217 milhões de dólares para continuar suas atividades em 2018. Face a má situação econômica da Organização, funcionários da mesma fizeram greve e gritaram para o representante da ONU ”cair fora”. Os irmãos árabes abarrotados de dinheiro, não abrem a mão para facilitar a vida dos “irmãos palestinos”, preferem gastar bilhões de dólares em corridas de carros ou de camelos no deserto.

Na terça feira (17) no Conselho de Segurança da ONU, a embaixadora americana, Nikki Haley, criticou os países árabes de pagar apenas com a lábia a causa palestina, sem fazer nenhum ato significativo para melhora-la. Disse: ”nenhum grupo de países é mais generoso com suas palavras do que os países vizinhos dos palestinos e outros da Organização de Cooperação Islâmica”, mas estas palavras não alimentam, vestem ou educam uma só criança palestina. Tudo que fazem é ter a comunidade internacional irritada.

Em seguida a embaixadora Haley passou a relatar as contribuições para a UNRWA. “Irã-zero (para Hamas, Hizballah, Jihad Islâmica – muitos milhões de dólares), Algeria – zero, Tunisia – idem, Paquistão – 20.000 dólares, Turquia – 6.7 milhões. EAU – 12.8 milhões, enquanto os EUA contribuem com 364 milhões de dólares. Fora isto, o povo americano dá aos palestinos em assistência bilateral 300 milhões de dólares. Indagou: “onde estão os países árabes para encorajar os palestinos para se reconciliar entre suas forças rivais, que é essencial para a paz? Onde estão os países árabes, quando tem que denunciar o terrorismo da Hamas? Onde estão os países árabes quando tem que apoiar concessões necessários para fazer a paz com Israel?

Nikki Haley denunciou a “liderança palestina que deixou passar tempo demais viver na falsa realidade, porque os líderes árabes estão com medo de lhes dizer a verdade. Os EUA lhes diz a verdade por que se importa com o povo palestino”. A reação palestina foi típica. O embaixador da Autoridade Palestina na ONU acusou a Embaixadora Halley de “ser mais israelense do que os israelenses”. A verdade lhes dói.

AS CHAMAS SUBIRAM TAMBÉM NO NORTE DO PAÍS

Esta semana, o norte do país foi estremecido pela violência da Síria que chegou até o território israelense. A Síria lançou 2 mísseis contra os rebeldes, próximos a fronteira com Israel. Vendo- se ameaçado, Israel revidou lançando 2 mísseis para impedir a entrada dos mísseis em território israelense. Os mísseis sírios caíram em seu próprio território, 1 dos mísseis israelense se auto destruiu e do outro não se tem notícia.

No dia seguinte, 3ª-feira (24) um caça de ataque sírio, do tipo Sukhoi 22 entrou no espaço aéreo israelense, imediatamente foi abatido por 2 misseis “Patriot” lançados contra o invasor. O caça caiu perto de área ocupada por rebeldes, o piloto morreu. A Russia que luta ao lado do Assad não gostou da reação israelense, por abater caça de fabricação russa. Israel e Russia tem entendimento de que Israel não abaterá pilotos russos. O regime do Assad publicou nota de que a ação israelense mostra que Israel apoia as organizações terroristas (dos rebeldes).

Israel esclareceu em conversas com a liderança política e militar russa de que rejeita sua proposta de afastar forças do Irã para 100 km. da fronteira com Israel. A exigência israelense é que eles deixem a Síria e retornem ao Irã. Israel exige a manutenção dos Acordos de separação das forças militares de 1974, assinadas depois da Guerra do Yom Kipur.

Na 4ª-feira (25) 2 mísseis vindos da Síria caíram no Lago do Kineret (Mar da Galiléia), desviados da guerra interna síria. Fato como este não aconteceu há dezenas de anos e a Força Aérea de Israel reagiu imediatamente, destruindo a bateria que lançou os mísseis. O exército sírio, apoiado pela Russia, Irã e Hizballah combatem os terroristas do Jeish al Khaled, identificado com o EI. Na última semana dezenas morreram na Região ainda mantida pelos rebeldes, ao norte de Quneitra. Ao mesmo tempo, o EI continua chacinando druzos da Síria, que apoiam o regime. Em uma série de ataques suicidas, mataram na quarta (25) mais de 250 pessoas, ferindo mais de 260.

Com as vitórias do regime Assad, dá para entender melhor a rápida ação israelense, salvando os “capacetes brancos” e suas famílias, mais de 800 pessoas, que estavam ameaçados pelo exército sírio e russo e seriam chacinados. A organização “Capacetes Brancos” foi fundada em 2013 por voluntários corajosos que arriscam a vida chegando a áreas bombardeadas, para tentar salvar civis dos escombros. Por agir em áreas dos rebeldes do regime Assad, foram ameaçados.

Sob total sigilo, eles foram se juntando em Daraa, levados em ônibus, com se fossem retirados com outros civis sírios que foram levados para a área de Idlib, sob controle dos rebeldes. Os ônibus com os “capacetes brancos” viajaram direto para Israel, sob vigilância do EDI, e passando pelo território israelense foram direto para a Jordânia, onde chegaram as 5 da manhã. Israel atendeu e organizou a operação por motivos humanitários e o sucesso foi aplaudido pelo Canada, Inglaterra, Alemanha, França, Holanda e até la Ministra do Exterior da União Europeia, Federica Mogherini, elogiou:”reconhecemos os esforços de Israel e da Jordâia e os outros que contribuíram para levar os capacetes brancos para lugar seguro”. Da Jordânia eles serão destribuídos em países europeus e no Canada.

ERDOGAN APRONTA OUTRA COM ISRAEL

O “paladino” dos direitos humanos e da democracia, que prendeu mais de 150.000 pessoas, da corte da justiça, militares, funcionários públicos e simples pessoas, que acha ser da oposição e que “tentaram o golpe do ano passado para destitui-lo”. O Erdogan que desempregou centenas de milhares de pessoas pelo mesmo motivo, que introduziu o islamismo mais radical ao seu país, contrariando a constituição centenária de Atta Turk. O desafiador Recep Tayyio Erdogan, discursou no seu Parlamento contra a Lei da Nação aprovada em Israel. Acusou Israel de ”ressuscitar o espírito de Hitler e de ser a maior nação facista e racista do mundo, além de ser um Estado de Terror”.

Não importa se as acusações são pela queda da moeda turca e para desviar a atenção dos problemas internos do país. Erdogan transformou a grande nação turca num Estado islamista que apoia terroristas, financiando e hospedando em seu território, como Hamas, Irmandade Muçulmana e outras. Ele que invadiu a Síria e lá combate os curdos sírios para que não se aliem aos curdos turcos e formem uma nação curda.

A Turquia continua ocupando a metade da Ilha de Chipre, invadida em 1974 e transformou a Turquia numa “demo-ditadura”. Como disse Netanyahu: ”Erdogan que comete crimes, não pode nos dar lições de moral”. As palavras de Erdogan comparando Israel a atos dos nazistas é prova do seu antissemitismo. Israel e Turquia tem interesses econômicos, mas as constantes ameaças de Erdogan, os desafios e provocações que faz contra o Estado Judeu, deviam leva-lo a parar estes atos, mesmo rompendo as relações entre os 2 países.

CURTAS:

SE AS ELEIÇÕES FOSSEM HOJE, segundo um recente censo publicado na TV israelense, o Likud, do Netanyahu, venceria com 30 deputados (dos 120), queda de 2 mandatos do mês passado e 5 do censo de maio. O Yesh Atid, de Yair Lapid, subiu 1 mandato, para 19 deputados, Habait Hayehudi de Naftali Bennett, 8 e Israel Beiteinu, do Avigdor Lieberman subiu para 7 mandatos. Yahadut Hatora (ultra ortodoxos) – 7, Hamachané Hatsioni (ex P. Trabalhista) – 15, Shas (ultra ortodoxos sefaradim) perde 1 mandato, vai para 5, bem como Meretz (esquerda) e Orli Levi-Abekassis – 5. A Lista Associada dos partidos árabes mantém 12 mandatos.

POLICIA ARGENTINA AGE EM IGUAÇU mais ativamente nos últimos tempos, em combate ao tráfico de dinheiro para grupos terroristas. Realizou uma investida na região da Triplice Fronteira, na cidade de Iguaçu, onde célula da Hizballah atua. A maioria dos ativistas são da familia al Barakat, liderados por Assad Ahmed Barakat, que já foi preso no Brasil e fugiu para Paraguai. A familia Barakat tem ramificações nestes 2 países, atuando em lavagem de dinheiro nos cassinos das áreas. O dinheiro serve para a compra de armas e financiar atividades terroristas. Em Iguaçu, a policia confiscou 10 milhões de dólares.

A AGÊNCIA DE CLASSIFICAÇÃO MOODY’S elevou o grau da economia de Israel de “estável” para “positivo”, apesar dos problemas de segurança. Já, há alguns meses a agência S&P elevou Israel para A1 e talvez vai melhorar para AA-. Segundo a Moody’s a economia de Israel melhora pela disciplina fiscal e o forte crescimento econôico.

ESPORTES:

JUDÔ. A Federação Internacional de Judô cancelou evento internacional que seria realizado nos Emirados Arabes Unidos e Tunisia, por discriminação de judocas israelenses. Em nota publicada, a Federação Internacional de Judô diz ”estar comprometida a promover os princípios morais e valores do judô, da Olimpiada e do esporte em geral, que contribuem ativamente para promover a paz e igualdade entre as nações, raças e sexos”. Baseado em experiências passadas, a Federação cancelou os eventos do Grand Slam de Abu Dhabi e o Grand Prix da Tunisia.

BASQUETE. ISRAEL CAMPEÃ EUROPEIA. Nos últimos anos, os times de basquete de Israel estão cheios de jogadores estrangeiros, em equipes considerados “nacionais”, como o Macabi Tel Aviv, onde os jogadores israelenses não tem vez. A próxima geração de jogadores israelenses mostrou que tem vez. A seleção nacional de até 20 anos, acaba de vencer o Campeonato Europeu da modalidade. Venceu com larga margem, seleções como a da Grecia (84×106), Espanha (75×98),França(57X83) e por fim a campeã do ano passado, a Croácia (66×80), sagrando se Campeã. O jogados Zoosman, foi escolhido o melhor do torneio (MVP).

SQUASH. O final do torneio de Squash de Israel foi disputado em Jerusalem, numa quadra delineada por vidros inquebráveis, instalada (e será desmontada) na r. Mamila, em frente ao Portão Jaffa e a Torre de David. Vieram prestigiar e fazer um jogo demonstrativo, o campeão mundial do ano passado, Gregory Gaultier, da França contra o new zelandes, Paul Cole, 10º no mundo. Alguns jogadores masculinos e femininos do vizinho Egito, que estão se destacando nos últimos anos, foram convidados, mas recusaram os convites, provavelmente, por motivos políticos.

DIA DOS NAMORADOS. No Safari de Ramat Gan, vive o casal de elefantes Varda de 60 anos e Motek (Doce) de 58 anos. Eles formam o casal mais veterano e prolongado do mundo, que vive em cativeiro, comemorando 56 anos de casal firme. Durante este tempo, quando outras fêmeas se aproximavam do Motek, a Varda se colocava entre eles barrando a aproximação. Este casal tem também um recorde mundial, o de maior número de descendentes, 11, que já os tornaram dezenas de vezes vovos e bisavos, espalhados pelo mundo. Mazal Tov.

Print Friendly, PDF & Email