COMPARTILHAR

Em Israel o alistamento militar é obrigatório e por isso em qualquer campo da vida israelense encontram-se militares, inclusive na área politica. Ao mesmo tempo, Israel não é um país qualquer. Mesmo após 70 anos de Independência, o país continua correndo riscos existencialistas.

Seus inimigos próximos geograficamente como a Síria, o Líbano, Hezbollah, Hamas, a OLP e há outros longínquos, não aceitam a existência do Estado Judeu. Os países árabes usam a questão palestina para uni-los internamente não necessariamente por serem solidários com eles.

Esses fatos devem levar os israelenses a serem unidos internamente e a manter certas atividades militares no obscuro e sigilo, para não desvendar suas ações aos inimigos. Agora, estamos às vésperas de eleições gerais, a serem efetuadas no dia 9 de abril e há políticos que expõem suas faces e facas, para poderem ser eleitos. A vulgaridade cresce e as acusações também. O Primeiro Ministro e o Likud usam o termo “esquerdista”, como se fosse xingar alguém que não concorda com sua conduta.

O General (aposentado) Yoav Galant, ingressou na politica para o partido Kulanu e se tornou o Ministro da Habitação. Por almejar outro posto, preferiu e ultimamente passou ao Likud, onde terá mais chances e para ser popular neste partido, iniciou uma guerra de generais. O Tenente- General Benny Gantz que desponta como a maior ameaça ao Netanyahu pelo posto de Primeiro Ministro, foi o alvo do Galant.

Este o acusou de que quando foi o Chefe do Estado Maior do Exercito, durante a Operação Penhasco Firme, em Gaza, ele fracassou. Culpou-o de “querer apenas empatar com Hamas que é time de 2ª divisão”. Gantz, que até agora se matem silencioso, enquanto funda um novo partido, foi acusado por Galant: “Benny Gantz mantêm-se calado. Eu sei porque está calado e milhares de oficiais que estiveram sob seu comando também o sabem”, insinuando algo.

A resposta do partido de Gantz, Resiliência para Israel foi: “o povo de Israel necessita de outro diálogo, mais nacional e outra liderança, liderança de valores e não de mentiras”. Galant não pára aí, acusou outro Tenente- General , o Moshe “Bogie” Yaalon, que foi também Chefe do Estado Maior e Ministro da Defesa, quando foi deputado pelo Likud, até discordar do Netanyahu. Aprendendo rápido a linha, Galant o acusou: “Yaalon é da esquerda”.

Galant que faz de tudo para agradar os eleitores do Centro do Likud, que escolherão seus candidatos para tentar eleger-se deputados, em fevereiro, escolheu a vulgaridade e insinuações e talvez até possíveis revelações do serviço militar. Ele tem certa rivalidade e inveja do Gantz. O General (aposentado) Galant teve carreira militar de destaque e em 2010 foi indicado para ser o Chefe do Estado Maior. Logo depois esta caiu pelo governo por fazer campanha e por irregularidades na tomada de terreno para construir sua casa. O General Gantz foi chamado de volta a ativa e escolhido para ser promovido a Tenente-General e Chefe do Estado Maior do Exército.

Não há pior coisa para a segurança de Israel do que as lutas entre altas patentes das Forças Armadas. Nestas podem sair revelações de fatos militares sigilosos que não deveriam ser públicos, principalmente por motivos e rivalidades políticas.

NOVO COMANDANTE DE TSAHAL

Na 3ª-feira (15) no QG do Exercito de Defesa de Israel, ocorreu a troca de comando da Chefia do Estado Maior de Tsahal, do Tenente- General Gadi Eizenkot ao novo Tenente-General Aviv Kochavi.

Eizenkot encerrou 4 anos de chefia com sucesso e elogios de todos os lados e 40 anos de vida militar, passou a batuta para Kochavi, de 55 anos. A grandeza deste comandante é a sua personalidade enaltecida e elogiada por todos que o conhecem e pelos valores adicionais que trás ao exercito.

Sua trajetória militar começa em 1982, quando se voluntariou a Brigada de Paraquedistas, que é integrada só por voluntários. Se destacou em tudo que fez e já em 2001 chegou a comandar a Brigada e a liderou durante a Operação Muro Defensivo.

Nesta Kochavi mais uma vez demonstrou sua criatividade. Para proteger seus soldados ante os combates serrados e sangrentos em Jenin, mandou usar martelos para abrir frestas e atravessar as paredes de uma casa a outra. Depois, comandou a Divisão de Gaza, que protege Israel ao longo da fronteira com esta área.

Em 2010 foi empossado no comando do Serviço de Inteligência, onde também introduziu inovações. Em 2014 passou a comandar a Area Norte, que faz fronteira com o Líbano e a Síria. Foi iniciativa dele o projeto de “boa vizinhança”, que passou a atender feridos da guerra civil síria. Naquela época Tsahal passou a acompanhar o projeto de escavação de tuneis da Hizballah, que foram destruídos ultmente (mais a seguir).

O Major General Aviv Kochavi é casado e tem 3 filhas, graduado em 4 títulos das Universidade Hebraica de Jerusalém e da americana Harvard. É considerado muito inteligente, de fácil captação, filosofo, revolucionário, que quebra tradições quando necessário, muito carismático e tem o dom da fala. Sem dúvida é o mais preparado para receber a chefia do Exercito de Israel. No seu lado artistico, gosta de desenhar e ama música. É o primeiro Comandante vegetariano e todos lhe desejam boa sorte.

No último dia de comando, o Major General Eizenkot não se esquece daqueles que pagaram maior preço para a sobrevivência de Israel. Visitou uma familia de soldado morto em serviço e visitou um soldado gravemente ferido durante treinamento de comando que está se recuperando. Despediu-se dos ajudantes, almoçou com o Kochavi na residência do Presidente Rivlin e esposa (também vegetarianos) e a tarde passou o comando ao novo Major- General em emocionante cerimonia.

TERMINOU A OPERAÇÃO DEFESA AO NORTE

No dia 13 de janeiro, a Tsahal informou que com a descoberta do 6º tunel, terminou a operação desencadeada ao longo da fronteira com o Líbano para descobrir e destruir os túneis escavados pela Hizballah para surpreender Israel. Ainda restam alguns túneis escavados dento do territorio libanês e que não atravessam para o territorio israelense.

O sexto tunel, é o segundo que sai da aldeia de Ramia percorre 800 metros numa profundidade 55 metros. Tem 2 metros de altura e um de largura, penetrando uns 50 metros dentro do subsolo de Israel. Sem dúvidas Hizballah investiu muito dinheiro nesta construção. Ao longo da fronteira com o Líbano, Israel construiu um muro de 13 km.de comprimento e 9 de altura.

Por incrível que pareça o governo libanês não parou as atividades malignas da Hizballah no seu território. Parece que o governo é dominado pela Hizballah e a teme. A reação do governo libanês foi apresentar protesto ao Conselho de Segurança da ONU exigindo a condenação de Israel pela violação da Resolução 1701, com sua atividade junto a fronteira dos 2 países. O governo libanês sabe que Israel agiu em própria defesa ante a ameaça da Hizballah de usar os túneis, partindo do Libano, para tentar conquistar parte da Galileia, introduzindo centenas ou milhares de terroristas.

Esta surpresa foi abortada. O choque da Hizballah é tão grande que até agora esta organização está muda. Principalmente o seu chefão, o fanfarão Hassan Nassrallah. Buscando saber a que se deve este silêncio, há informes divergentes de que ele está hospitalizado em Beirute.

A ATIVISTA LINDA SARSOUR DIFUNDE O ÓDIO DO ISLÃO

Julgue você mesmo. A ativista americana-muçulmana Linda Sarsour é conhecida por atuar e falar contra Israel. O Instituto Memri, que faz pesquisas e traduz a midia árabe e muçulmana trouxe no dia 13 de janeiro pronunciamento feito em 2.12.2018 no Centro Comunitário Salam em Sacramento, pela Sarsour.

Entre outras “pérolas” ela disse: “declaro a vocês aqui em Sacramento que Jerusalém é e sempre será a Capital da Palestina (o Profeta Maomé foi ativista de direitos humanos, não há necessidade de lutar pelos direitos dos operários, movimentos ambialistas e de jusiça ou movimentos como a Vida Negra, ou anti racistas e feministas. O Islão ensina esses valores muito antes de sairem pelos hashtags e movimentos (no Ocidente)… não preciso que o Ocidente, a Europa ou os EUA me ensinem o que é esse feminismo”.

O Estado da Palestina ainda não existe, muito menos sua Capital. O governo de Abbas, onde está localizado o túmulo de Arafat e a sede governamental estão em Ramallah.

Os muçulmanos tem obrigação de converter os não muçulmanos pela “espada”. As palavras jihad (guerra santa) e shahid (mártir) são bem conhecidos a todos. A situação das mulheres no mundo islamico também o são. Ainda quando criança fazem “circuncisão” as meninas, mais adiante as casam e tem que seguir o esposo que pode ter 4 esposas.

Veja o vídeo abaixo:

A Linda Sarsour causa muita polemica. Até a rede árabe Al Arabiya acusou-a em 9.12.2018 de ser membro da Irmandade Muçulmana. A roqueira Courtney Love acusou-a em 2017 de ser antisemita.

CURTAS

ISRAEL LANÇARÁ NAVE ESPACIAL À LUA. Será em fevereiro em Cape Canaveral, a bordo do missil Falcon 9 da Space X. Ontem (18) a nave espacial da organização Space.IL, entitulada “Bereshit” (Gènesis) embarcou com todos os devidos cuidados num avião especial. “Após 8 anos de árduo trabalho, o sonho tornou se realidade e temos nave espacial” disse Ido Antabi, Diretor Geral da Space.IL. Sua equipe junto com a Industria Aeronautica de Israel uniram forças para lançar esta nave espacial e fazê-la aterrizar na lua. Depois dos EUA, Russia e China, Israel espera ser o 4º país a realizar tal façanha. Há grande concorrência com a India que também esta prestes a lançar a sua nave espacial. Sem dúvida isto coloca a tecnologia israelense na primeira fileira das melhores do mundo. Isto com apenas 9 milhões de habitantes.

VENDA DE ANT ISRAELENSES AO BRASIL. A Industria Aeronautica de Israel assinou o primeiro contrato de vendas de Aviões Não Tripulados (ANT) à companhia brasileira Santos Lab. Esta fará uso dos ANT para aprimorar as áreas agricolas no país. Através da ANT poderão observar o cultivo e sevicultura comercial e analisar as condições do solo e do cultivo.

CULTURA BRAILEIRA EM ISRAEL. Semana do Filme brasileiro inicia-se nêste domingo(20) na Cinemateca de Tel Aviv. Sob os auspícios da Embaixada brasileira em Israel o festival será iniciado com o filme João, o Maestro, acompanhado de perguntas e respostas. Os filmes a serem exibidos são Vazante, Duas Irenes, Como os nossos pais, Bingo, Elis (Regina) e Benzinho. É para matar saudades. No Festival de Inverno de Jazz em Eilat, no fim de semana de 14 a 16 de fevereiro haverá apresentação também do brasileiro Michael Pipoquinha. Êste descrito como o “menino prodigo brasileiro” iniciou aos 10 anos com violão e depois passou a sua paixão, o contrabaixo. Seus professores no inicio foram seu avo e seu pai. Cursou academias e seu nome de jazzista se espalhou. Apresentou-se nos maiores festivais de musica no Brasil. Desde jovem passou a apresentar-se no mundo com sua tecnica peculiar. No Festival de Eilat, Pipoquinha tocará músicas inéditas que compôs e de grandes musicos brasileiros e dos Beatles.

DIA INTERNACIONAL DA RECORDAÇÃO DA SHOA (Holocausto) foi instituido pela ONU no dia 27 de janeiro, por iniciativa de Israel. O atual Embaixador de Israel à ONU, Dany Danon organizou uma delegação de 40 Embaixadores na ONU, que passarão pela Polonia. Lá estudarão a historia dessa tenebrosa era e visitarão Campos de Concentração e Extermínio. Dali seguirão para Israel, onde passarão 5 dias visitando o Estado Judeu. Terão encontros com o Presidente Rivlin, o Premier Netanyahu e outras autoridades. Visitarão Yad Vashem, Tel Aviv e Jerusalém. Farão excursão em helicopteros junto as fronteira da Síria e do Líbano e verão um dos tuneis que Hizballah cavou para dentro de Israel. No absurdo do teatro da ONU, a maioria automática e irracional do grupo G77 composto por 134 países, nomeou o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas para liderar o grupo. Isto apesar de que a ONU não reconhece Abbas e a Autoridade Palestina como um Estado. Entre os justos decentes encontramos a ex Embaixadora dos EUA à ONU, Nikki Haley que disse:” esta decisão é vergonhosa…decisões como esta afasta a Autoridade Palestina da mesa de negociações e tornam a ONU, organização não levada a sério”. Nada a acrescentar.

MELHORA NAS RELAÇÕES ENTRE O GOVERNO EGÍPCIO E ISRAEL. Na 2ª feira(14) o Ministro das Energias de Israel, Dr. Yuval Steinitz participou no Forum de Gas Natural Regional realizado no Egito. Também participaram os Ministros homonimos da Grecia, Chipre, Jordania e da Autoridade Palestina e representantes d Italia. Esta é a primeira visita de ministro israelense na Terra dos Faraos desde 2011 e mais uma prova do aquecimento nas relações entre os govêrnos. O proposito da reunião é a primeira prova a utilidade do desenvolvimento dos depositos de gas, não só economicamente e no campo ambiental, mas também no significado geopolitico. Entre outras, os Ministros das Energias do Egito e de Israel trataram da cooperação na exportação de gas de Israel e do Egito à Europa.
Em maio será declarada a fundação da Organização de Gas Natural do Mar Mediterraneo, com a participação da Italia, Grecia, Chipre, Jordania, Egito, Israel e da Autoridade Palestina. Na ocasião também participará delegação da área energetica da União Europeia.

Correção: Na semana passada escrevi que o caça F15 do qual a marquise se soltou voou a 30.000 metros e o correto é 30.000 pés. Obrigado a os que me chamaram a atenção.

Print Friendly, PDF & Email